Suíça aspira a cinco medalhas nos Jogos Olímpicos

O maratonista suíço Viktor Roethlin se prepara para as Olimpíadas de Pequim. Keystone

Swiss Olympic (Comitê Olímpico Suíço) anunciou os objetivos dos atletas suíços nas Olimpíadas de Pequim. Foram selecionados 82 atletas que deverão conquistar pelo menos cinco medalhas.

Este conteúdo foi publicado em 24. julho 2008 - 14:14

O chefe da delegação, Werner Augsburger, não quer pressionar os atletas, que estão prestes a viajar à China.

"O objetivo é obter o mesmo resultado de Atenas em 2004, onde ganhamos cinco medalhas, uma delas de ouro", afirmou à imprensa o chefe da delegação suíça Werner Augsburger.

"Temos um grande potencial, porém seria ridículo afirmar que podemos conseguir uma medalha por dia. Para mim, já seria um êxito se os 82 atletas melhorarem seus próprios resultados", acrescentou.

Uma delegação reduzida

Werner Augsburger sabe perfeitamente que é inútil fazer prognósticos arriscados ou fixar objetivos muito ambiciosos. "Na contabilidade dos Jogos Olímpicos, os primeiros dias podem ser primordiais."

O chefe da delegação explica que "em judô, por exemplo, o trabalho de quatro anos pode ser perdido ou vitorioso em alguns segundos. Sergei sabe disso", referindo-se ao judoca suíço eliminado no primeiro turno em Sidney e em Atenas

A seleção dos atletas (82 + 4 suplentes) foi feita de maneira muito cuidadosa. O número de atletas foi reduzido comparado às edições anteriores. Nas Olimpíadas de Atlanta (1996) foram 119, em Sidney (2000) 1003 e em Atenas (2004) 99.

A razão é simples: as vagas disponíveis com base em cotas e critérios esportivos (classificações) foram menos numerosas. "Em remo, por exemplo, apenas um atleta foi classificado ao invés de oito".

Para remediar essa situação, sublinha Werner Augsburger, as distintas federações decidiram melhorar suas contas de participação já com vistas às Olimpíadas de Londres, em 2012. O objetivo é aproveitar da melhor maneira possível o potencial individual dos atletas.

Preocupações com a poluição

A participação em Pequim 2008 teve um orçamento de 3,5 milhões de francos suíços. Um terço dessa soma é destinada aos gastos de transporte. A equipe médica, dirigida pelo Dr. Beat Villiger, gastou 100 mil francos com o projeto heat.smog.jetlag.

O nível de poluição preocupa muito os médicos e os atletas. Por isso,
Swiss Olympic prevê uma série de medidas para prevenir os efeitos da poluição atmosférica e do calor. Máscaras de proteção e vacinas contra a diarréia estarão à disposição dos atletas.

"Esperamos realmente ter condições ambientais e climáticas aceitáveis", afirma o chefe da equipe médica Beat Villiger. As autoridades chinesas prometem que tomarão medidas para reduzir as emissões poluentes de 15 a 20% durante as Olimpíadas.

swissinfo com agências

OITO DIAS IMPORTANTES

Os oito dias de competição mais importantes para a Suíça serão:

Domingo 10 de agosto: Marcel Kauter, esgrima
quarta-feira 13: Sergei Aschwanden, judô; Fabian Cancellara, ciclismo; e Katrin Thürig, ciclismo
Sábado 16: Flavia Rigamonti, natação, 800 m
Domingo 17: Roger Federer, final de tênis; Katrin Thürig, ciclismo em pista
segunda-feira 18: triátlon femenino
terça-feira 19: triátlon masculino
quinta-feira 21: Bicicleta de Montanha, com Roger Rinderknecht e Jenny Fähndrich
Domingo 24: Viktor Röthlin, maratona

End of insertion

PARAOLÍMPICOS

Duas semanas depois da final dos Jogos Olímpicos começarão os Paraolímpicos. De 6 a 17 de setembro, cerca de 4 mil atletas de 144 países disputarão 472 medalhas em 20 disciplinas.

A Suíça estará presente co 18 homens e 9 mulheres. Ruedi Spiztli, chefe da delegação paraolímpica fixou o objetivo de 11 medalhas.

É um pouco aquém dos resultados obtidos quatro anos atrás em Atenas (16 medalhas), pela simples razão que, em Atenas, havia havia 15 atletas a mais do que este ano.

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo