Navigation

Swiss já reduziu metade da frota Embraer

Dos 25 jatinhos e-145 comprados da Embraer, a Swiss já alugou 13. swissinfo.ch

O período de turbulências da companhia aérea suíça parece não ter fim. Quando outras companhias anunciam bons resultados, a Swiss continua no vermelho.

Este conteúdo foi publicado em 04. agosto 2004 - 16:36

Dos 25 jatinhos comprados da Embraer, a swiss já alugou 13 aparelhos, principalmente nos Estados Unidos.

Com a retomada do crescimento econômico, as pessoas voltaram a viajar e as empresas aéreas começam a sair do período de três anos de crise, depois dos atentados do de 11 de setembro em Nova York.

Agora é o petróleo

Para a companhia Swiss, herdeira da falida Swissair, as notícias boas tardam. No plano inicial, a empresa previa sair do vermelho este ano mas já avisou que não será o caso, antes mesmo de apresentar o balanço semestral, em 17 de agosto. O argumento é a alta do petróleo.

Um grupo interno de trabalho estuda novas medidas de economia e uma delas poderá ser a concentração de todos os vôos no aeroporto de Zurique, abandonando de vez os aeroportos de Genebra e Basiléia.

Como o patrão da companhia, Christoph Franz, disse recentemente aos sindicados que "doravante nada é tabu", as ações da Swissi cairam mais de 17% no início da semana, na Bolsa de Zurique.

No plano geral de contenção de custos, a companhia já havia congelado as encomendas do contrato milionário para a compra de 85 aviões da Embraer, com opção para outros 100 aparelhos, firmado em 1999.

Aluguel nos Estados Unidos

A aquisição incluia 25 jatos E-145 (46 lugares), 30 E-170 (70 lugares) e 30 E-195 (108 lugares).

De crise em crise, foram entregues somente os 25 E-145 e a Swiss mantém em suas linhas européias apenas 12 deles. Os outros 13 foram alugados, principalmente para empresas americanas.

"Foi mais fácil alugar os aviões da Embraer", afirmou a swissinfo Dominique Werner, da Swiss. Forçada a reduzir a frota regional na Europa, onde tinha aviões demais de passageiros de menos, a empresa suíça acabou ficando com a parte mais velha da frota (Saab e Avro).

Só São Paulo

A companhia estuda novas formas de redução de custos mas Werner afirma que a frota "está de bom tamanho para os planos atuais". Atualmente, a Swiss tem 81 aviões - 10 nas linhas intercontinentais e 71 nas linhas européias.

Especialistas consideram que a frota européia ainda é muito grande e dificulta as negociações tanto com os credores quando com outras companhias européias na conclusão de uma aliança.

A Swiss tem cinco vôos por semana para São Paulo e acaba de suprimir a extensão dessa linha até Buenos Aires. Mesmo não dando os resultados por linha, o porta-voz diz que a empresa está muito satisfeita com Zurique-São Paulo, único vôo direto entre a Suíça e o Brasil.

swissinfo, Claudinê Gonçalves

Fatos

8.281 funcionários, entre eles:
1.357 pilotos
2.749 comissários de bordo
10,6 milhões de passageiros em 2003.

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?