Navigation

Trabalhadores suíços são desiguais diante do câncer

Os executivos não têm os mesmos tipos de câncer dos operários. Keystone

Na Suíça, os riscos de câncer variam muito de uma categoria social ou profissional para outra. O estudo divulgado quinta-feira, 06/9, demonstra isso claramente.

Este conteúdo foi publicado em 06. setembro 2002 - 23:06

Os resultados devem permitir melhorar a prevenção e a proteção dos trabalhadores.

O estudo, encomendado pela Liga Suíça contra o câncer e pela Associação de Registro de Tumores, foi feito com 58 mil pacientes homens, entre 1980 e 1993, nos Cantões (estados) de Basiléia, Genebra, St-Gallen, Vaud e Zurique.

Os resultados demonstram de todas as categorias sócio-econômicas estão sujeitas ao câncer mas que há disparidades de uma categoria para outra.

Câncer de pobre e câncer de rico

Entre os operários, a incidência de câncer ligado ao consumo de tabaco e álcool é duas vezes maior. São portanto mais freqüentes entre eles o câncer de pulmão, faringe e esôfago.

Por outro lado, entre os executivos é mais comum o câncer dos testículos, próstata e de pele. Frequëntemente expostos ao sol nas horas de lazer, os executivos têm a mesma proporção de câncer de pele que os agricultores, que trabalham ao ar livre.

Devido a vida sedentária, os executivos também têm mais câncer de cólon que os operários.

Uma maneira simples de reduzir as disparidades sócio-econômicas seria dirigir melhor as campanhas de prevenção às populações diretamente afetadas.

Câncer no trabalho

O estudo demonstra ainda que os chamados câncers profissionais também são freqüentes na Suíça. Sabe-se que a exposição ao amianto aumenta o risco de câncer de pulmão.

Contudo, o estudo mostrou também que os marceneiros têm maior número de câncer nasal e o cabeleleiros câncer de visícola. Nesses dois casos, as causas são menos conhecidas.

Na Europa, admite-se que 6% dos casos de câncer são causados por exposição direta a um produto cancerígeno no local de trabalho. Na Suíça, não existe qualquer compensação para os casos de câncer profissional, critica a Liga Suíça contra o câncer.

Prioridade de saúde pública

A Associação suíça de registro de tumores e a Liga Suíça contra o câncer exigem uma maior controle dos riscos de câncer no trabalho.

Afirmam que é necessário estudar melhor as relações de causa e efeito detectadas pelo estudo mas também de impedir que os trabalhadores tenham contato com substâncias, produtos e gases potencialmente cancerígenos.

swissinfo com agências

Breves

- Estudo foi feito com 58 mil pacientes durante 13 anos.
- Operários têm mais câncer de pulmão, faringe e esôfago.
- Executivos têm mais câncer de testículos, próstata e cólon.
- 6% dos casos de câncer na Europa são ligados ao trabalho.
- É necessário continuar os estudos e evitar contato no trabalho com substâncias cancerígenas.

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?