Navigation

Tempos difíceis para a hotelaria suíça

Os indicadores estão no vermelho para a hotelaria suíça. De acordo com dados da Secretaria Federal de Estatísticas, o setor registrou 16,8 milhões de diárias no primeiro semestre de 2016, 199.000 a menos (- 1,2%) do que no primeiro semestre de 2015. O aumento do turismo interno não conseguiu compensar a queda no número de turistas estrangeiros.

Este conteúdo foi publicado em 10. agosto 2016 - 17:09
swissinfo.ch

Os dados da Secretaria Federal de Estatísticas mostram que os turistas estrangeiros registraram 9,1 milhões de diárias no primeiro semestre, 234.000 a menos (- 2,5%) do que no mesmo período de 2015. De acordo com especialistas, "o tempo encoberto e chuvoso pode ser um fator que explica esse declínio".

A evolução depende de acordo com a origem dos turistas. Por exemplo, os Estados Unidos têm o maior aumento absoluto, com 44.000 diárias adicionais (+ 5,6%).

Mas o problema para a indústria do turismo é a baixa significativa dos turistas estrangeiros que tradicionalmente ficam em grande número nos estabelecimentos suíços. Só a Alemanha registrou uma queda de 136.000 diárias (-6,49%). A baixa também é significativa para os turistas dos países do BRIC. Os chineses (sem Hong Kong) mostram um recuo de 80.000 diárias (-14,3%) e os brasileiros uma queda de 18,4%.

swissinfo.ch

Esta diminuição do número de hóspedes estrangeiros foi parcialmente compensada por um aumento da clientela suíça. A demanda doméstica registrou 7,7 milhões de diárias no primeiro semestre de 2016, um aumento de 36.000 (+ 0,5%) em comparação com o mesmo período em 2015.

Os números mostram que os suíços foram menos para as regiões onde o terrorismo ameaça a indústria do turismo, como a Tunísia, preferindo destinos europeus, principalmente na Península Ibérica.

swissinfo.ch

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.