Navigation

Um mergulho "infinitamente profundo" com David Lynch

Emily Scream 1 (o grito de Emily) , de David Lynch David Lynch

A nova Casa da Fotografia em Olten conseguiu um feito ao se tornar o primeiro museu na Europa a receber a mais recente exposição do artista e diretor de cinema americano David Lynch.

Este conteúdo foi publicado em 28. abril 2021 - 09:00

Um casal de idosos bate à porta do antigo museu de história natural da cidade histórica de Olten, no norte da Suíça. É pouco antes do meio-dia, e a Casa da Fotografia está fechada. Mas os dois amantes da cultura viajaram especialmente de Winterthur, a cerca de 90 km, e Remo Buess, co-diretor do museu, deixa-os entrar. Ele cobra o ingresso, leva-os para dentro e lhes dá um aviso cauteloso: a exposiçãoLink externo é bastante difícil e exigente.

Ele não está exagerando. O passeio, que se estende por três andares e muitas salas, pouco difere de um trem fantasma. O título da exposição, Infinite Deep, reflete o desejo de Lynch de nos atrair para as profundezas infinitas das nossas almas.

Aqueles que conhecem os filmes melancólicos, sombrios, obscuros e, no mais das vezes perturbadores de Lynch, como O Homem Elefante (The Elephant Man), Eraserhead ou Veludo Azul (Blue Velvet), podem constatar por si mesmos em Olten como o diretor, agora com 75 anos, se aproximou e desenvolveu suas imagens cinematográficas através da fotografia.

David Lynch fotografado por Josh Telles Josh Telles

Muitas das imagens, quando olhadas de perto, fazem o espectador tremer e experimentar uma sensação quase física de mal-estar- por exemplo, a série Distorted Nudes (1999): as fotografias são penduradas como um grupo compacto em uma sala montada como um gabinete. À distância, as imagens parecem fotografias eróticas estáticas do final do século XIX. Ao se aproximar, porém, pode-se perceber corpos mutilados por Photoshop, seus membros parcialmente remontados em posições impossíveis.

Outra série também se apresenta como inofensiva e inócua à primeira vista: imagens de bonecos de neve nos jardins dos subúrbios americanos. Mas as imagens são cinzas, e a magia da neve branca desapareceu; os rostos sorridentes aparecem assumem um ar sarcástico, e os corpos, embora redondos, se assemelham mais a espantalhos. Tudo parece congelado - apenas a neve cinza e suja se derrete lentamente.

Contatos e padrões

A antiga escola serviu como museu de história natural de Olten durante 145 anos. No ano passado, o Festival Internacional de Fotografia de Olten (IPFO), uma associação que realizou seu primeiro festival anual em 2019, bancou o projeto de remodelá-lo e transformá-lo na Casa da Fotografia.

Remo Buess e Christoph Zehnder compartilham a responsabilidade de supervisionar o novo museu. O diretor artístico é Marco Grob, um fotógrafo de raízes locais que fez um nome internacional com seus retratos e imagens de celebridades. São sobretudo seus contatos e seus altos padrões que deixaram sua marca no IPFO.

Remo Buess e Christoph Zehnder fazendo a reforma com as próprias mãos IPFO

Para a exposição atualmente em cartaz, Nathalie Herschdorfer assina a curadoria. A especialista em fotografia internacionalmente bem relacionada é também diretora do Museu de Arte Le LocleLink externo, no noroeste da Suíça, onde recentemente realizou uma exposição do primeiro trabalho fotográfico de Stanley Kubrick - outro cultuado diretor de cinema estadunidense.

"Depois que recebemos o ok da cidade, tudo aconteceu muito rapidamente", diz Buess em um salão no porão do prédio. "Não temos que pagar aluguel, mas dedicamos muitas horas de nosso tempo livre à renovação. Os fundos do IPFO e um outro tanto de doações privadas também foram para o museu. As fotos de David Lynch chegaram até nós através de um curador em Copenhague, assim pudemos nos lançar ao projeto e ser os primeiros a mostrar a exposição na Europa".

Apesar de não ter experiência museológica, Buess diz estar satisfeito. "O resultado é algo de que nos devemos orgulhar".

A exposição Infinite Deep está programada fica em cartaz até 27 de junho.
O Festival Internacional de Fotografia de Olten está programado para acontecer de 25 a 29 de agosto.

David Lynch 

David Keith Lynch nasceu em 20 de janeiro de 1946 em Missoula, estado de Montana (EUA).

Ele é um artista americano que trabalha como diretor de cinema, produtor de filmes, roteirista, ator, mas também se aventura nas artes visuais e na música.

Lynch é mais conhecido por seus filmes surrealistas, que também podem ser classificados como film noir. Os elementos estilísticos que definem o estilo são imagens de pesadelo e design sonoro ameaçador. Os temas recorrentes em suas obras cinematográficas são pesadelos, mundos alienígenas, metamorfoses, voyeurismo e o inconsciente.

End of insertion
Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.