Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Vinhedo suíço é candidato a patrimônio mundial

É esta a região que pretende a proteção da Unesco. 

(swiss-image)

O vinhedo do Lavaux, perto de Lausanne e às margens do lago Léman, é candidato oficial à inscrição no patrimônio mundial da Unesco.

A Suíça também solicitou à agência da ONU acrescentar 285 km2 da geleira Jungfrau-Aletsch-Bietschorn, decretada patrimônio mundial em 2001.

Quarta-feira (21/12)o diretor da Secretaria Federal de Cultura (OFC), Jean-Frédéric Jauslin, e representantes da Associação pela Inscrição de Lavaux no patrimônio mundial entregaram a candidatura à Organização da ONU pela Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), em Paris.

A decisão será tomada em meados de 2007 mas os autores do projeto dizem estar seguros de ganhar.

"A candidatura é sólida e bem elaborada mas não podemos prever exatamente a decisão do Comitê do Patrimônio Mundial. No entanto, Lavaux é um lugar realmente excepcional e por isso estamos otimistas", declarou a swissinfo Olivier Martin, porta-voz da OFC.

Essa região pitoresto entre Lausanne e Vevey (oeste da Suíça) conta com seu vinhedo às margens do lago e seu panorama alpino para somar-se aos seis outros sítios helvéticos já inscritos na lista do patrimônio mundial.

Entre eles estão a parte história de Berna, capital suíça (1983), o Convento de St-Gallen (1983) e os castelos de Bellinzona (2000).

Uma equipe de inspeção

A candidatura de Lavaux será examinada por especialistas da Unesco e depois por uma equipe de inspeção do Conselho Internacional dos Monumentos e Sítios (ICOMOS) será enviada à região no início do próximo verão europeu.

O relatório da visita será submetido ao Comitê do Patrimônio Mundial, composto de representantes de 21 países. "Estamos muito otimistas, mesmo se o processo não tem nada de uma simples formalidade", declarou Philippe Biéler, membro do comitê da Associação. "Deveremos provar que Lavaux tem características valiosas e exclusivas".

Alguns receiam que as chances dessa candidatura podem ser reduzidas pelo fato que um grande número de sítios europeus já estejam inscritos no patrimônio mundial e que a Unesco queira corrigir essa situação.

Mas Olivier Martin está convicto que o dossiê atende aos novos objetivos definidos ela agência da ONU. "Tentamos cumpri-los escolhendo uma paisagem cultural e não um monumento como uma catedral, o que seria realmente muito mais difícil", explica.

"Estamos em uma categoria pouco representada, a da paisagem cultural. Esse dossiê tem a vantagem que essa região sofre pressões do mercado imobiliário e que é muito importante que essa paisagem seja preservada".

Uma região que já é protegida

A Secretaria Federal de Cultua (OFC) precisa que a inscrição ao patrimônio mundial não mudaria em nada as regulamentações sobre o desenvolvimento da região. Acrescenta que ela já é protegida por legislação local, cantonal e federal. Os eleitores aprovaram em novembro que preservação de Lavaux seja inscrita na constituição cantonal (estadual).

O famoso ecologista Franz Weber, um dos primeiros defensores de Lavaux, explicou a swissinfo que um reconhecimento da Unesco seria um passo adicional para a preservação definitiva da região.

Trinta anos atrás, Franz Weber lançara a campanha para proteger Lavaux da especulação imobiliária, proposta que foi votada em 1977. "Foi a primeira vez o mundo que o povo colocou uma paisagem sob proteção", relembra Weber.

"Todos os partidos políticos e o governo se opunham ao projeto mas o povo entendeu e nós ganhamos".

swissinfo, Adam Beaumont com agências

Fatos

A Suíça tem seis inscrições no patrimônio mundial da Unesco:
A parte histórica de Berna
O convento de St-Gallen
O monastério beneditino de Müstair
Os castelos de Bellinzone
A geleira de Aletsch
O Monte San Giorgio.

Aqui termina o infobox

Breves

- Em dezembro de 2004, o governo suíço escolheu cinco sítios para submeter à aprovação do Comitê do Patrimônio Mundial da Unesco. Lavaux é um deles.

- Os outros quatro são as ferrovias alpinas de Albula e Bernina, nos cantão dos Grisões (leste), as cidades relojoeiras de La Chaux-de-Fond e Le Locle (oeste), as construções arquiteturais de Le Corbusier e sítios lacustres pré-históricos.

- A Secretaria Federal de Cultura prevê submeter a candidatura de Albula e Berna em 2007 e de La Chaux-de-Fonds e Le Locle em 2008.

Aqui termina o infobox

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.