Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

De adolescente colérico ao sucesso sublime

Roger Federer em 1998, o ano em que ele se tornou jogador profissional.

(RDB)

Roger Federer era um jogador talentoso em 1997, mas também um "esquentado" adolescente de 16 anos. Seis anos depois ele caía de joelhos no campo de Wimbledon ao realizar um sonho de infância.

O desenvolvimento de um dos mais inspiradores atletas do mundo é uma história de sangue, trabalho duro, suor e muitas lágrimas.

Federer nunca foi uma pessoa extrovertida ou arrogante, mas sempre foi ambiciosa. Aos quinze anos de idade no Centro Nacional Suíço de Tênis em Ecublens, vilarejo no cantão de Vaud (oeste da Suíça), ele preferia ser discreto quanto aos seus objetivos no esporte. Enquanto outros queriam "se tornar jogadores profissionais" ou "entrar na lista do top 100", Federer dizia que a sua meta já era "fazer parte dos dez melhores" e então se tornar o "número um".

"Eu acredito que o Roger é ambicioso pelo fato dele não ser cem por cento suíço", avalia Seppli Kacovski, o primeiro treinador de Roger Federer. "Seu pai é suíço e a tranqüilidade de Roger vem dele, porém a sua ambição e a força de vontade vem da sua mãe, que é sul-africana".

Porém, tranqüilidade e calma não foram sempre as características do tenista suíço. "Eu tinha o hábito de jogar minha raquete em qualquer direção. Você nem pode imaginar", ele admite. "Eu vivia sendo expulso dos treinos quando tinha 16 anos".

Ao completar os dezessete anos, o atleta decidiu visitar psicólogos do esporte. Finalmente eles lhe ajudaram a se transformar de um explosivo McEnroe na legenda da compostura que era o tenista sueco Björn Borg.

De qualquer maneira, uma diferença que Federer ainda mantém em relação a Borg é sua reação ao sucesso. "Existem pessoas que não sorriem quando elas ganham e outras que sorriem por semanas depois de ter ganho. Eu sou o tipo do cara que deixa as lágrimas correr", conta Federer quando ganhou o primeiro título em Wimbledon.

Ruptura

Federer passou a dar passos concretos em direção ao sucesso. Foi quando ele se tornou campeão suíço dos juniores em 1997 e campeão júnior de Wimbledon em 1998. Porém o mundo realmente descobriu seu talento quando ele conseguiu bater o heptacampeão Pete Sampras, na quarta rodada de Wimbledon em 2001, a única vez em que jogaram juntos.

Ele continuou conquistando medalhas e troféus. Em 6 de julho de 2003, Federer se tornou o primeiro suíço a ganhar um título em grand slam quando ele venceu Mark Philippoussis com clara vantagem em Wimbledon.

"Eu penso que o ponto nevrálgico na carreira de Federer é tudo o que ocorreu a partir do início de 2004. Depois dele ter ganho em Wimbledon em 2003, ele conquistou o Tennis Masters Cup, ganhou o Australian Open em 2004 e se tornar então número um do tênis", conta René Stauffer, autor do livro "Uma questão de perfeição: a história de Roger Federer". (escutar áudio)

"Foi como uma grande liberação para ele. Federer contou na época que naquele ponto ele poderia até parar de jogar, pois já havia conquistado tudo o que queria. A partir disso, tudo o que aconteceu para ele é como se fosse um prêmio-extra".

Segredo do sucesso

Stauffer descreve Federer como um "quebra-cabeça que levou muito tempo para ser concluído, mas que agora se mostra em toda sua beleza".

"Ele tem tudo que precisa. Ele é agora um jogador perfeito. Federer tem força mental e capacidade atlética que fazem dele um espetáculo para ser assistido", explica o jornalista.

"Não é um milagre que ele tenha sido escolhido como o atleta mundial do ano por três vezes seguidas. Isso mostra que ele não é apenas um jogador de tênis, mas sim um desportista que poderia ir longa em muitos outros esportes".

Até Kacovski dá sua opinião: - "Estou pessoalmente convencido que se Federer tivesse escolhido futebol, ele teria chegado até a seleção suíça".

O próprio Federer admite que os resultados vêm do esforço. "Planejamento foi um fator muito importante para o meu sucesso, pois ajuda a cicatrizar os ferimentos e as fraquezas mentais".

Em 2007, Roger Federer participa de 19 diferentes torneios. Comparando: Rafael Nadal, o número dois, tem 15 torneios para competir apenas nos primeiros seis meses do ano.

Resistência

A força mental de Federer – sua habilidade para lidar com pressão e mesmo prosperar com ela – também tiveram um papel importante no sucesso do suíço.

"Qualquer pessoa tem limites para lidar com a pressão. Porém, o que significa momento de pressão para um jogador mediano, não significa ser pressão para alguém como Roger", avalia Roland Carlstedt, psicólogo clínico e diretor da Liga Americana de Psicologia do Esporte. (escutar áudio)

"Uma típica situação de estresse para Federer pode ser quando ele a ponto de quebrar o recorde de Peter Sampras no grand slam. Nesse momento ele pode estar chegando nos seus limites, que podem até afetá-lo de forma negativa".

Depois de ganhar o Aberto de Dubai pela quarta vez em 2007, Federer declarou: "Antes eu pensava que o mais importante era a tática e a técnica, mas cada partida acaba sendo um desafio mental e físico. Agora eu tento me forçar a jogar melhor. E me motivo para não ficar perturbado, mas sim pensar positivo. Esse é o maior avanço que fiz em todos esses anos. Sob pressão eu posso ver as coisas com muita clareza".

Carlstedt acredita que a situação dos rivais de Federer não está das melhores.

"Roger pode vencer todos eles. Quando você tem bases técnicas, físicas e atléticas, como é o caso dele, isso já representa três quartos da batalha. Adicionando a isso uma imensa autoconfiança e mais a força do seu estado psicológico, acho que Federer é praticamente invencível".

swissinfo, Thomas Stephens

Fatos

A posição de Federer no ranking da ATP nos últimos anos:
1999 – 302.
2000 – 64.
2001 – 29.
2002 – 13.
2003 – 6.
2004 – 2.
2005 – 1.
2006 – 1.
2007 – 1.

Aqui termina o infobox

Perfil de Roger Federer

Data de nascimento: 8 de agosto de 1981
Altura: 185 cm.
Peso: 80 kg.
Jogada: destro, cujos fortes são os voleios e backhand
Profissional desde: 1998
Treinador: Tony Roche

Calçados: Nike Air Vapor IV
Raquete: Wilson [K]Six-One Tour
Roupas: Nike

(Dados de 1 de maio de 2007)
Recordes de vitórias: 501 vitórias e 128 derrotas.
Títulos individuais: 47
Montante ganho só com premiações: US$ 30.136.828,00

Aqui termina o infobox

Vida pessoal

Roger Federer nasceu em 8 de agosto de 1981 em Binningen, vilarejo do cantão da Basiléia. Seu pai, Roger Federer, é suíço-alemão e a mãe, Lynette Federer, é originária da África do Sul. Ele cresceu nas proximidades de Münchenstein, no mesmo cantão. Sua irmã, Diana, é 20 meses mais velha que ele e é enfermeira.

Robbie Federer trabalhava para a multinacional farmacêutica Ciba-Geigy na Basiléia. Em 1970, ele conheceu Lynette na filial sul-africana da empresa em Johannesburg. Atualmente os pais trabalham empresariando Roger Federer.

Federer namora Miroslava "Mirka" Vavrinec desde 2000. Ele era jogadora de tênis, mas abandonou o esporte em 2002 devido a lesões no pé. Vavrinec nasceu na Eslováquia, mas veio para Suíça com os pais quando ela tinha apenas dois anos. O par se conheceu nas Olimpíadas de Sidney em 2000. Hoje ela é empresária do tenista suíço.

Segundo seu site na Internet, os passa-tempos de Federer são "jogar cartas, cricket, tênis-de-mesa e sentar na praia". Ele também é conhecido por ser um ávido jogador de Play Station e futebol.

Roger Federer fala três idiomas: alemão, francês e inglês, embora seu idioma natal – não falado pela mãe – ser o dialeto suíço-alemão.

Normalmente o tenista vive com Vavrinec em Oberwil, no cantão da Basiléia. No início de maio os jornais publicavam que eles estavam pensando em se mudar para Bäch, no cantão de Schwyz.

Aqui termina o infobox


Links

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

×