Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Do asfalto aos pastos alpinos Os Alpes Suíços, um novo paraíso para correr

No mundo inteiro, a corrida em trilha vem fazendo grande sucesso. Com inúmeras trilhas, vistas de tirar o fôlego e transporte público para os vales mais remotos do país, a Suíça deve se tornar o novo eldorado da corrida de montanhas, diz o americano Doug Mayer, que acaba de publicar um livro sobre o assunto.

Para escrever seu livro, o americano Doug Mayer explorou mais de 1000 km de trilhas em solo suíço - aqui na região da geleira de Aletsch, no cantão do Valais

(PatitucciPhoto)

swissinfo.ch: Como nasceu a ideia de escrever um livro sobre as trilhas mais bonitas da Suíça?


As dicas de Doug MayerLink externo

A trilha mais difícil: "Sem hesitação, a Hardergrat, um caminho estreito de 25 km ao longo do cume com vista para o Lago Brienz. Este caminho requer uma excelente condição física e uma certa afinidade com o alpinismo".

A mais bonita: "Essas 31 trilhas são um pouco como minhas filhas, então a escolha é muito difícil! Se eu tivesse que escolher uma, seria Monte Zucchero, no Ticino. Cruzamos paisagens extraordinárias, numa tranquilidade quase absoluta. Um lugar perfeito para fugir mentalmente.

A primeira: "Eu aconselho ir com alguém que já tenha alguma experiência e, principalmente, começar devagarinho. Cinco quilômetros de corrida de montanha já são muito bons. A noção de prazer é essencial se você quiser continuar.

Riscos: "Basicamente, são os mesmos das caminhadas ou outras atividades de montanha. É importante ter equipamento apropriado e estar ciente de suas próprias capacidades. O bom senso prevalece: se você está cansado e o tempo está ruim, aí é melhor voltar para casa! "

Aqui termina o infobox

Doug Mayer: Apesar da crescente popularidade da corrida em trilhas, até agora não houve nenhum livro desse tipo. A informação disponível para o público em geral ainda é relativamente rara. Foi com isso em mente que decidi fazer uma turnê pelos Alpes suíços com Kim Strom durante o verão de 2017 para selecionar as 31 trilhas mais bonitas do país.

Nós fomos acompanhados pelos fotógrafos Janine e Dan Patitucci, que conhecem esta região como a palma da mão. Nós quatro percorremos um total de mais de 4000 quilômetros!

swissinfo.ch: Você é americano e mora em Chamonix (França), um lugar frequentemente considerado como a Meca das trilhas na Europa. Por que você escolheu a Suíça?

D.G.: Primeiro de tudo, eu conheço bem a Suíça, já que tenho família morando em Troistorrents, no cantão do Valais. Depois, os Alpes suíços são certamente um dos mais belos lugares do mundo para a prática deste esporte. Com belas trilhas, paisagens de tirar o fôlego, vilarejos pitorescos e uma calma como em nenhum outro lugar, este país oferece um ambiente ideal para corredores de montanha.

E, ao contrário da região de Chamonix, por exemplo, ainda há muitos lugares para descobrir na Suíça. Penso, principalmente, nos vales remotos da Engadina, no cantão dos Grisões. Em nosso livro, não nos detivemos na conhecida trilha que leva Sierre a Zinal ou a maratona do Jungfrau. Preferimos nos concentrar em caminhos mais desconhecidos e selvagens.

swissinfo.ch: Qual é o potencial para o desenvolvimento da corrida de montanha nos Alpes suíços?

D.G.: É enorme! A Suíça pode contar com milhares de quilômetros de trilhas marcadas e extremamente bem conservadas. É uma vantagem considerável. Soma-se a isso uma rede de transporte público de densidade única no mundo, que torna o vilarejo mais remoto dos Alpes facilmente acessível.

O Hardergrat, uma trilha íngreme de 25 km que corre ao longo da cordilheira acima do lago de Brienz. Um caminho tão belo quanto perigoso, apenas para corredores experientes

(PatitucciPhoto)

swissinfo.ch: A corrida em trilhas cresceu muito nos últimos anos. Como você explica isso?

D.G.: Eu só posso falar por mim. Como muitos fãs de corrida, comecei a correr na rua, no meio do tráfego, e logo achei chato. Quando descobri a corrida em trilhas, vinte anos atrás, ficou claro que não dava para voltar atrás.

"Correndo as montanhas suíças: 30 trilhas incríveis", por Kim Storm, Doug Mayer Janine e Dan Patitucci, Edições Helvetiq, 319 p

(DR)

Outro fator desempenha um papel importante na minha opinião: o equipamento (calçados, jaquetas, bolsas, etc.) melhorou significativamente nos últimos dez anos, tornando a prática da trilha muito mais fácil e agradável.

Finalmente, não há necessidade de grandes habilidades técnicas para começar. Correr nas montanhas é acessível a todos, desde que comecemos definindo metas razoáveis - um percurso de 5 km em ligeira elevação, por exemplo.

swissinfo.ch: Os corredores usam as mesmas trilhas de quem caminha ou pratica mountain bike. Como evitar conflitos entre os vários usuários da montanha?

D.M .: Dado o sucesso da disciplina, é de fato um problema que surgirá no futuro. É também por isso que escolhemos trilhas que não são necessariamente as mais frequentadas pelos caminhantes. Mas na Suíça todo mundo é muito educado e a convivência é geralmente muito boa em trilhas nas montanhas. Isso nem sempre é o caso na América do Norte, por exemplo.

swissinfo.ch: Por que essa escolha de correr a todo custo, em vez de preferir a prática mais meditativa e contemplativa da caminhada?

D.M.: Eu também ando e não compartilho da sua opinião. O esforço físico que a corrida na montanha requer, na minha opinião, é mais um estado meditativo. Os corredores chamam isso de "flow state" [tipo de sentimento extático]. O cérebro está focado no percurso, nos obstáculos a evitar e, ao mesmo tempo, está muito relaxado. Eu comecei a corrida em trilhas pela atividade física e a aventura, mas hoje se tornou meu modo de fazer meditação e relaxamento. E eu não desistiria por nada no mundo.

Suíça TurismoLink externo.

"A prática da corrida em trilha está crescendo na Suíça", disse Véronique Kanel, porta-voz da Suíça Turismo, o órgão de promoção do turismo na Suíça. Em dez anos, estima-se que o número de competições do gênero tenha aumentado dez vezes em alguns cantões alpinos como o Valais.

As inscrições para corridas bem conhecidas, como Sierre-Zinal ou a “ultra-trilha” do Eiger, se encerram alguns minutos após a abertura. "A multiplicação e a diversidade dos percursos possibilitam atrair cada vez mais competidores, da Suíça, mas também de países vizinhos, mesmo da Grã-Bretanha ou da América do Norte", observa Véronique Kanel. Os principais destinos turísticos dos Alpes criaram suas próprias competições de trilha nos últimos anos.

Mas também é possível praticar a corrida em trilhas de montanhas fora das grandes concentrações esportivas e sem ter os olhos constantemente fixados no cronômetro. Uma tendência que interessa cada vez mais as estações alpinas.

O suficiente para sugerir um forte potencial de desenvolvimento e valorização econômica dessa atividade, de acordo com a Suíça Turismo. "A corrida em trilhas é muito interessante, pois contribui para a diversificação das atividades turísticas nos Alpes", diz Véronique Kanel. Este ano, o órgão pretende promover a corrida de montanha de forma mais intensa, como parte de sua próxima campanha promocional do verão.

Aqui termina o infobox


Adaptação: Fernando Hirschy, swissinfo.ch

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.