Perspectivas suíças em 10 idiomas

Pressão aumenta nas estações de esqui suíças

Skiers on a chairlift
Esquiadores com máscaras em Verbier na segunda-feira (30) - as pistas ainda estarão abertas durante o Natal? Keystone

As esperanças das estações de esqui suíças de receber turistas estrangeiros durante as férias de Natal poderão ser frustradas em breve: a França e a Áustria querem evitar que seus cidadãos pratiquem esqui no exterior impondo quarentenas obrigatórias.

O Primeiro Ministro francês Jean Castex disse na quarta-feira que seu governo obrigaria os cidadãos a ficar isolados durante sete dias após as férias de esqui no exterior. Pontos de controle seriam instalados nas fronteiras com a Suíça e a Espanha.

A medida será implementada se a Suíça e a Espanha não fecharem seus destinos de esportes de inverno até janeiro, como fez a França, disse ele.

Castex disse que a conclusão a ser tirada disto é que as pessoas não devem ir esquiar na Espanha ou na Suíça. Segundo ele, os trabalhadores fronteiriços não seriam afetados.

A Áustria, assim como a Suíça, recusou-se até agora a fechar suas estações de esqui durante as férias. Entretanto, ao impor uma quarentena de dez dias aos viajantes de áreas de alto risco, a Áustria pretende limitar seriamente o turismo durante este período.

A medida visa evitar que o vírus seja transportado para o país por austríacos ou turistas do exterior, disse o chanceler Sebastian Kurz na quarta-feira.

A Alemanha passou a considerar a Suíça uma área de risco desde 24 de outubro. Por conseguinte, quem vem do país alpino tem que entrar em quarentena por dez dias.

O Presidente do Conselho Italiano de Saúde, Franco Locatelli, disse que a decisão da Suíça de manter as estações de esqui abertas foi decepcionante. Ele disse ao La Stampa que esperava que as estações de esqui suíças fossem fechadas até o final do ano. Caso contrário, ele disse que iria pedir uma quarentena para as pessoas que retornassem à Itália.

Nos últimos dias Simonetta Sommaruga, que detém a presidência rotativa da Suíça este ano, tem tentado encontrar uma solução para o problema e tem mantido conversações com Castex e o primeiro-ministro italiano Giuseppe Conte, entre outros.

Mostrar mais

Pomo da discórdia

O que não facilita o trabalho de Sommaruga é uma aliança de partidos centristas que na quarta-feira exortou o governo a não impor medidas drásticas às estações de esqui e regiões montanhosas durante o período de festas. Uma declaração nesse sentido será apresentada ao parlamento na quinta-feira.

Representantes de todas as principais organizações e regiões turísticas advertiram o governo para ter cuidado com novas medidas de coronavírus nas regiões montanhosas. O governo deveria deixar a liderança para os cantões afetados, disseram eles.

O pomo da discórdia é um projeto de decreto que o governo enviou aos cantões para consulta há alguns dias. De acordo com esta proposta, as estações de esqui suíças devem, em princípio, permanecer abertas. Entretanto, a fim de evitar grandes multidões, medidas como restrições de capacidade ou fechamento antecipado para restaurantes e bares devem ser aplicadas.

“A economia é importante demais”

Por sua vez, as estações de esqui suíças estão se preparando para as férias de final de ano, apesar da pressão de seus vizinhos para fechar até que a última onda de coronavírus passe.

O Ministro da Saúde Alain Berset propôs limites à capacidade dos teleféricos de esqui no Natal e no Ano Novo, mas os operadores de teleféricos e as regiões montanhosas já esperam que muitos visitantes estrangeiros fiquem longe durante o período festivo com restrições adicionais.

Eloi Rossier, prefeito de Bagnes, logo abaixo da estação de esqui suíça de Verbier, reconheceu sentir o clima pesado de outros países, mas disse que a economia de esqui de sua cidade era importante demais para simplesmente cancelar a temporada, especialmente dadas as medidas que a estação estava tomando para manter as pessoas seguras.

Ele espera até 45.000 pessoas durante o Natal e o Ano Novo, menos do que o normal devido a muitos cancelamentos.

“Há um aspecto econômico que não podemos negar. É extremamente importante”, disse Rossier. “Mas não é o esqui que é perigoso para transmitir o vírus, mas o que vem depois do esqui, o ‘après-ski’ [aperitivos e festas, n.d.r.]. Aqui tomamos medidas extremamente rigorosas para limitar […] os riscos”.

Mostrar mais
Teste rápido de Covid-19

Mostrar mais

Boletim: Coronavírus na Suíça

Este conteúdo foi publicado em Acompanhe também a evolução da pandemia no mundo através de uma série de gráficos atualizados semanalmente.

ler mais Boletim: Coronavírus na Suíça

Preferidos do leitor

Os mais discutidos

Notícias

aeroporto

Mostrar mais

Aeroporto de Genebra cobrará taxa de atraso em 2025

Este conteúdo foi publicado em O Aeroporto de Genebra pretende lançar um sistema de cotas de poluição sonora no próximo ano. Os voos que partirem após as 22h terão que pagar uma taxa.

ler mais Aeroporto de Genebra cobrará taxa de atraso em 2025
imagem

Mostrar mais

Suíços não se preocupam em perder empregos para a IA

Este conteúdo foi publicado em A inteligência artificial (IA) está influenciando a vida profissional cotidiana. Na Suíça, muitas pessoas já têm experiência com IA, inclusive em seus empregos.

ler mais Suíços não se preocupam em perder empregos para a IA

Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

SWI swissinfo.ch - sucursal da sociedade suíça de radiodifusão SRG SSR

SWI swissinfo.ch - sucursal da sociedade suíça de radiodifusão SRG SSR