Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Federer favorito para o World Tour Finals

Federer está a caminho de Londres, em uma posição forte para bater o recorde de 6 títulos.

(AFP)

A temporada difícil do tenista suíço Roger Federer está terminando em alta. Com sua vitória em Paris, o tenista fica em boa posição para o torneio final que reunirá os oito melhores jogadores do mundo em Londres.

Com as vitórias em Basileia e, domingo, em contra o fancês Jo-Wilfried Tsonga por 6-1, 7-6, Federer conquistou seu primeiro Masters de Paris e seu 69° título de uma carreira brilhante.

Federer nunca havia chegado à final de Paris, mas não deu chance ao francês com oportunidades limitadas depois de salvar dois break points no seu serviço de abertura.

"Estou em êxtase por ter jogado tão bem esta semana", declarou o campeão de 16 torneios do Grand Slam. "Já tentei várias vezes ganhar esse torneio de Paris, mas por alguma razão não conseguia. É uma vitória muito especial."

O ex número um mundial vai terminar a temporada sem nenhum título do Grand Slam, pela primeira vez desde 2002, e seu ranking, que havia caído para a quarta posição, subiu para a terceira com a vitória no Indoors da Suíça, na semana passada, e em Paris, no domingo (13).

"Sofri algumas derrotas muito duras este ano, mas continuei acreditando que o ano não havia acabado", disse Federer, que desperdiçou dois match points contra o topo do ranking Novak Djokovic, na semifinal do Aberto dos EUA, em setembro.

"Eu não estou jogando para provar nada para ninguém. Eu jogo para mim, eu jogo para a Suíça e para me divertir."

Federer pegou seis semanas de folga após o playoff da Copa Davis contra a Austrália, em meados de setembro, e sente que valeu a pena.

"Eu sempre planejo a longo prazo", disse. "Eu sei como é duro lá fora."

Seu 18° Master o coloca um passo à frente de Andre Agassi e um atrás de Rafael Nadal.

A caminho de Londres

Antes de ir para o jogo, Federer foi incomodado por um resfriado e perdeu o sono depois de ser acordado no meio da noite por uma de suas filhas gêmeas.

"Eu estava esperando que a noite fosse boa, mas de repente eu estava correndo na sala com Mirka [sua esposa] para ver se estava tudo bem", disse Federer. "[Mirka] disse, vamos levá-la para nossa cama. Eu nem sequer questionei isso - não consigo argumentar às quatro da manhã..."

Tsonga salvou dois match points, mas foi um breve alívio de um fim inevitável quando Federer marcou a sua 802ª vitória da carreira.

Foi seu terceiro título da temporada e seu único Masters. Djokovic ganhou cinco Masters neste ano, Andy Murray dois e Nadal um.

Mas, com Djokovic incomodado por uma lesão no ombro, Federer estará confiante de poder defender seu título em Londres. "Eu ainda posso terminar este ano em alta", disse.

As casas de apostas concordam, tornando Federer favorito por 2-1, logo à frente de Murray e Djokovic.

Magia

Os jornais suíços reagiram à vitória de Federer com orgulho e trocadilhos de todos os gostos.

"Uma criança que conseguiu finalmente mergulhar o dedo na geleia, após ter passado anos olhando o vidro", foi como o Le Temps de Genebra descreveu Federer.

O jornal citou o amigo e companheiro de tênis de Federer, Yves Allegro: "Todo mundo estava dizendo que Roger não poderia se importar menos [sobre este torneio] - mas isso não é verdade! É difícil vencer aqui - não é uma quadra fácil... Ele realmente queria esse título. Ele adora Paris."

Para o Tages-Anzeiger de Zurique, a vitória foi um "raio de outono inesperado". "Mais uma vez Federer conseguiu sair da sombra de Nadal e Djokovic e alcançar algo que seus dois rivais mais jovens terão dificuldade em fazer", disse.

"A magia de Federer funciona novamente - Tsonga não vai discordar", foi a manchete do La Tribune de Genève.

"Fedi Cool", foi a manchete do tabloide Blick, presumivelmente uma referência forçada ao sucesso de Boney M “Daddy Cool”.

"Federer jogou em Paris com a tranquilidade de seus melhores dias. Ele é o favorito para o World Tour Finals em Londres", concluiu.

World Tour Finals

O World Tour Finals, realizado no estádio O2 de Londres, de 20 a 27 novembro, reunirá os oito melhores jogadores do mundo.

Este ano são: Novak Djokovic, Rafael Nadal, Roger Federer, Andy Murray, David Ferrer, Tomas Berdych, Jo-Wilfried Tsonga e Mardy Fish.

Os oito tenistas/duplas são divididos em dois grupos de quatro, e cada tenista/dupla joga contra os outros três do seu grupo. Então, os dois jogadores/duplas com os melhores resultados de cada grupo passam para as semifinais, e os vencedores das semifinais encontram-se na final para determinar o campeão.

Os vencedores são premiados com até 1500 pontos no ranking, sem mencionar o prêmio em dinheiro de um total de 4.450.000 dólares.

Federer ganhou o torneio final da temporada cinco vezes: em 2003, 2004, 2006, 2007 e 2010. Um recorde compartilhado com Ivan Lendl e Pete Sampras. Djokovic venceu em 2008. Nadal nunca ganhou.

Aqui termina o infobox


Adaptação: Fernando Hirschy, swissinfo.ch com agências

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.