Como você está torcendo?

A Suíça perdeu nas oitavas-de-final e está fora da Copa do Mundo 2018. Em várias partes do mundo, os suíços do estrangeiro torceram com paixão pela "Nati" e até enviaram algumas imagens à redação. E você? Como está torcendo?

Este conteúdo foi publicado em 05. julho 2018 - 11:17
Conteúdo externo

A cada quatro anos a situação é a mesma: a saudade aperta um pouco mais e as bandeiras são tiradas do fundo dos armários para decorar a varanda de casa. E se o país distante se tornar campeão da Copa do Mundo? Porém o que importante é poder torcer com os amigos e vibrar com lances espetaculares no jogos.

Por toda a Suíça foram instalados áreas de public viewing para que os torcedores pudessem assistir os jogos com amigos ou familiares. Os espaços se enchem a cada partida. Se a Suíça é que estavam em campo, então todos trajavam camisetas com a cor vermelha da seleção. Se são outros países, migrantes e descendentes também mostram as suas origens com as cores das suas próprias equipes.  

Para alguns suíços do estrangeiro, torcer pela "Nati" obriga superar alguns obstáculos. Um deles é o horário de exibição dos jogos: na América Latina muitos chegam no trabalho quando o juiz apita o início da partida.

Nas redações internacionais da swissinfo.ch, os jornalistas também vibram pelos seus países de origem como mostra a imagem abaixo. 

Patricia Islas (México) e Fernando Hirschy (Brasil) trabalham como jornalistas na swissinfo.ch. Pouco antes da disputa dos seus países pelo bilhete para as quarta-de-final, comemoraram juntos a paixão pelo futebol. swissinfo.ch

E você, suíço ou imigrante, como está torcendo na Copa? Como são vividos os momentos tensos na frente dos telões em praças públicas ou em casa? Envie para nós suas imagens através das nossas páginas no Facebook ou Twitter.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo