Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Um jogo de aniversário e de grande importância

Como em fevereiro do ano passado, suíços e alemães voltar a jogar hoje.

(Keystone)

A 73 dias da Eurocopa, a Suíça enfrenta a Alemanha nesta quarta-feira, pela qüinquagésima vez da história. Além disso, fazem 100 anos que ambos jogaram pela primeira vez.

Desde 5 de abril de 1908 e a vitória helvética (5 a 3), em Basiléia, Suíça e Alemanha já jogaram 49 vezes; a "Mannschaft" é o adversário contra o qual a Suíça mais jogou.

No último confronto, em fevereiro de 2007, em Düsseldorf, os tricampeões do Mundo e da Europa venceram por 3 a 1.

Para as duas seleções, o jogo desta quarta-feira, em Basiléia, será o antepenúltimo encontro de preparação antes da Eurocopa (de 7 a 29 de junho). A Suíça jogará ainda contra a Eslováquia (24 de maio) e o Lichtenstein (30 de maio) enquanto a Alemanha enfrentará a Bielorrússia (27 de maio) e a Sérvia (31 de maio) antes da Eurocopa.

Apesar de amistoso, o jogo de hoje promete ser "muito intenso", segundo o técnico alemão, Joachim Löw.

Nova coqueluche da mídia e dos torcedores alemães, o sucessor de Jürgen Klinsmann afirma que a Suíça é "um dos times favoritos do Euro 2008 e que o futebol suíço evoluiu muito nos últimos 10 ou 15 anos".

Ele pretende aproveitar o jogo contra a Suíça para definir o grupo que convocará para a Eurocopa.

O retorno de Alexander Frei

No campo suíço, o técnico Köbi Kuhn espera que essa partida permita responder a várias interrogações.

Com vários jogadores machucados e com três derrotas sucessivas nos últimos amistosos (contra EUA, Nigéria e Inglaterra), sua equipe tem necessidade urgente de uma vitória para ter novamente a serenidade da Copa de 2006.

Sem Ludovic Magnin, Johann Djourou e Philipp Degen na defesa, a Suíça contará com a volta do atacante e capitão Alexander Frei, ausente do time por nove meses. Operado da bacia e de uma perna, o atacante de Dortmund retoma a forma no momento certo.

Líder natural da seleção suíça, Frei considera o jogo de hoje "como o mais importante para a equipe suíça antes do Euro 2008".

Nesse jogo, Alexander Frei jogará ao lado da grande revelação Eren Derdiyok, que marcou o gol da Suíça contra a Inglaterra em Wembley.

"Sempre quis jogar com dois atacantes. O retorno de Frei e a chegada de Derdiyok me dão essa possibilidade contra a Alemanha. Quero que os 40 mil espectadores do Parc Saint-Jacques descubram uma seleção ambiciosa", anunciou o treinador Köbi Kuhn.

A opinião de Barberis

Umberto 'Bertine' Barberis, ex-jogador da seleção e treinador conhecido na Suíça, será comentador para swissinfo dos últimos jogos de preparação da seleção suíça e durante a Eurocopa.

Segundo ele, Köbi Kuhn e o técnico alemão buscam essencialmente confimações individuais de jogadores.

"Além do jogo e do resultado, afirma, os dois técnicos querem encontrar soluções individuais. Para a Suíça, trata-se principalmente da volta de Frei e de uma enventual dupla com Derdyok, a possivel confirmação de Behrami no meio-campo e de Lichsteiner como lateral direito.»

"As pessoas querem uma vitória de prestígio contra a Alemanha, mas Köbi Kuhn e
e seus auxiliares são obrigados a tentar várias opções para resolver problemas pendentes", acrescenta. No papel, a seleção suíça parece menos equilibrada e será interessantes para a Suíça, nesse contexto, obter um resultado interessante".

swissinfo, Mathias Froidevaux

Escalações:

Suíça : Diego Benaglio (Wolfsburg/All), Stephan Lichtsteiner (Lille), Mario Eggimann (Karlsruhe/All), Philippe Senderos (Arsenal), Christoph Spycher (Eintracht Francfort), Valon Behrami (Lazio Rome), Gelson Fernandes (Manchester City), Gökhan Inler (Udinese), Tranquillo Barnetta (Bayer Leverkusen/All), Eren Derdiyok (Bâle).

Alemanha: Jens Lehmann (Arsenal/Ang), Philipp Lahm (Bayern Münich/All), Arne Friedrich (Herta Berlin/All), Per Mertesacker (Werder Bremen/All), Marcell Jansen (Bayern Münich/All), Bernd Schneider (Bayer Leverkusen/All), Michael Ballack (Chelsea/Angl), Thomas Hitzlperger (VFB Stuttgart/All), Bastian Schweinsteiger (Bayern Münich/All), Mario Gomez (VFB Stuttgart/All), Miroslav Klose (Bayern Münich/All).

Aqui termina o infobox

Fatos

Em 50 partidas contra a Alemanha desde 1908, a Suíça ganhou apenas 8.
Um antigo ditado popular na Suíça dizia que o futebol é onze contra onze e no fim ganha a Alemanha.

Aqui termina o infobox

Umberto Barberis

Nascido em 5 de junho de 1952 em Sion, cantão do Valais, Umberto Barberis será comentarista de swissinfo para as últimas partidas amistosas da Suíça e nos jogos do grupo da Suíça durante a Eurocopa.

Meio-campista durante duas carreira de jogador, ele ganhou três Copas da Suíça (duas com o Servette de Genebra e uma com o Sion, do Valais), dois campeonatos suíços (com o Servette), um campeonato da França (jogado AS Mônaco) e quatro Copas da Liga (com o Servette).

Em 1982, ele foi eleito o melhor jogador estrangeiro no campeonato francês.

Jogou 54 vezes pela seleção (7 gols).

Começou a carreira de treinador no fim dos anos 80 e trabalhou até agora em quatro clubes: Lausane-Sport, Sion, Servette e Baulmes.

Aqui termina o infobox


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.