Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

A filmografia de Sérgio Rezende

O Festival Internacional de Filmes de Friburgo projeta a última obra do cineasta, “Onde Anda Você”.

Com “Onde Anda Você” (2003), Sérgio Rezende, realizou seu décimo longa-metragem.

Mas o primeiro sonho desse carioca, nascido em 1951, era ser músico antes encarar uma carreira de cineasta.

Ele cria em 1970, a própria empresa de produção com Mariza Leão. Após alguns curta-metragens, realiza seu primeiro longa em 1980: “ATÉ A ÚLTIMA GOTA”, um documentário sobre escandaloso comércio do sangue na América Latina, recompensado no Festival de Mannheim.

O homem da capa preta

Dois anos depois, terminava O SONHO NÃO ACABOU, tendo como tema a juventude da capital Brasília que cresceu sob o regime da ditadura, instalada no Brasil em 1964. O filme recebeu o prêmio da crítica do Festival de Gramado, Rio Grande do Sul.

Segue-se em 1984, a tragicomédia, O HOMEM DE CAPA PRETA sobre a figura controvertida de Tenório Cavalcanti, que, com sua capa preta e sua metralhadora, é considerado porta-voz dos pobres . O filme triunfou no festival de Gramado, ganhando o Kikito de ouro de melhor filme e representou o Brasil nos festivais de Moscou, San Sebastián e Biarritz.

DOIDA DEMAIS, de 1989, é uma incursão no gênero policial abordando o mundo da falsificação de pinturas, filme que também não passou despercebido.

Com A CHILD FORM THE SOUTH, de 1991, Sérgio Rezende faz sua primeira experiência de produção internacional. A trama envolve um jornalista sul-africano exilado após o assassinato do pai e que 20 anos depois regressa à pátria para cobrir uma conferência da ONU.

LAMARCA, de 1994, traça a trajetória do famoso, ex-guerilheiro, capitão Carlos Lamarca, inimigo da ditadura, morto como traidor da pátria. A película teve muito sucesso em vários festivais, inclusive os de Montreal, Chicago, Hong Kong, Xangai e Havana.

Quase nada

Segue-se, em 1999, MAUÁ, 0 IMPERADOR E O REI, enfocando a figura do maior homem de negócios do século XIX.

QUASE NADA, de 2000, voltado para o mundo rural, limita-se a traçar a vida de gente simples, longe das complicações do mundo moderno, globalizado e cibernético.

A última obra do produtor, ONDA ANDA VOCÊ, pode ser descoberta Festival de Friburgo, no mesmo momento em que é lançada no Brasil. O filme é interpretado por Juca de Oliveira, José Wilker, José Dumont, Regiane Alves, Drica Moraes.

swissinfo, J.Gabriel Barbosa

×