As dez datas importantes na história suíça

Pães decorados com a bandeira helvética para o Dia Nacional, em 1º de agosto. Keystone

As dez datas mais importantes da história da Suíça marcam passagens do país que beiravam a revolução, conflitos ou a criação do Estado moderno. Explicamos aqui algumas delas.

Este conteúdo foi publicado em 27. fevereiro 2020 - 16:00

1291 - É um mito, sem provas históricas, mas acredita-se que neste ano, no “início de agosto”, representantes da nobreza das regiões de Uri, Schwyz e Unterwalden assinaram a chamada “Carta Federal” (Bundesbrief). Ela era um tratado que determinava assistência mútua em caso de conflitos. A realidade é que o documento não foi o primeiro do tipo e teria sido produzido bem mais tarde, por volta do início do século 14. Portanto, em agosto de 1291 provavelmente não ocorreu nada.

1499 - A Guerra dos Suabos de 1494 (Schwabenkrieg, também chamada de Schweizerkrieg (''Guerra Suíça'') na Alemanha e 'Engadiner Krieg' (Guerra de Engadina) na Áustria) foi o último grande conflito militar entre a Antiga Confederação Helvética e a Casa de Habsburgo. Ela termina com o estabelecimento da independência da Confederação Helvética do Império.

1648 - A chamada Paz de Vestfália (ou de Vestefália, ou ainda Westfália) define uma série de tratados que encerraram a Guerra dos Trinta Anos e também reconheceram oficialmente as Províncias Unidas e a Confederação Suíça. A Suíça se torna independente não apenas de fato, mas também formal e legalmente. Ela também estabeleceu os princípios que caracterizam o estado moderno, destacando-se a soberania, a igualdade jurídica entre os estados, a territorialidade e a não intervenção.

1803 - A agitação interna e os numerosos golpes de Estado levaram Napoleão a emitir uma Lei de Mediação que pôs fim à República Helvética e restaurou a soberania dos cantões. A "estrutura de poder vertical" suíça era, portanto, instável e frágil: ela foi abolida e nunca mais foi retomada. Mas foi realmente nesta altura que os princípios do atual sistema político suíço foram formados - o sistema que permanece o mais estável do mundo até aos dias de hoje.      

1815 - O fim das guerras napoleônicas. As potências europeias, incluindo a Rússia, tinham interesse em reconhecer e manter a Suíça soberana e neutra. Razão: garantir a neutralidade das passagens e passagens estratégicas alpinas. Assim, a Suíça torna-se uma associação de cantões independentes e pouco interconectados: no Congresso de Viena, as potências europeias garantem à Suíça uma "neutralidade perpétua". 

1848 - Criação da Suíça moderna após uma guerra civil. Uma nova Constituição transformou o país um Estado federal liberal. Ela passa de uma união de estados para uma federação. As restrições que impediam o livre comércio e a livre circulação em todo o país foram abolidas. O sufrágio universal foi também introduzido, mas só para os homens.

1874 - A primeira revisão completa da Constituição e a introdução dos instrumentos da democracia direta (o direito de referendo opcional, que permite aos cidadãos expressarem a sua opinião sobre qualquer lei promulgada pelo Parlamento e governo), o que levou ao colapso da oligarquia conhecida como o "sistema Escher". Foi o ano de construção dos túneis ferroviários do Gotthard e Simplon e também de início do turismo como setor econômico.

1918 - Por pouco não houve uma revolução na Suíça neste ano. A insatisfação dos trabalhadores levou a uma greve geral em Zurique. Seus líderes (Comitê Olten) exigiam a adoção do princípio da eleição proporcional para o Conselho Nacional, o Poder Executivo, (que ocorreu em 1919), o sufrágio feminino (não introduzido até 1971), a semana de trabalho de 48 horas e um seguro de velhice e invalidez. O Conselho Federal mobilizou o Exército e reprimiu a greve.

1939 - Ano em que ocorreu a grande exposição industrial (Landi 39) em Zurique. Seu objetivo era demonstrar a ideia de oposição helvética à Alemanha de Hitler. Os dialetos suíços-alemães foram usados como instrumento político para reforçar as diferenças culturais com a Alemanha vizinha. Esse período culminou com o movimento político e cultural conhecido como "Geistige Landesverteidigung" (Defesa Espiritual da Pátria).

1978 - Ano de nascimento do mais novo cantão suíço, o Jura, que antes fazia parte do cantão de Berna. Sua criação ocorreu após um longo processo de compromissos e concessões mútuas e vários referendos (o último voto popular sobre a filiação territorial da comuna de Moutier ocorreu em 18 de junho de 2017. Veja AQUI os resultados). 

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo