Navigation

Artista suíço quebra teto de vidro com retrato de Kamala Harris

A instalação "Vice President Kamala Harris Glass Ceiling Breaker" no Lincoln Memorial, em Washington, 4 de fevereiro de 2021. Associated Press

Suas obras de estilhaçamento de vidro são, às vezes, consideradas erroneamente por vandalismo na Suíça. Mas o trabalho mais recente de Simon Berger atingiu em cheio o sucesso.

Este conteúdo foi publicado em 26. março 2021 - 15:30

Berger e a fotógrafa americana Celeste Sloman fizeram ambos retratos da vice-presidente americana Kamala Harris, com o artista suíço - um carpinteiro de formação - usando a foto de Sloman como modelo para uma obra feita de vidro estilhaçado. 

Usando uma técnica que ele mesmo desenvolveu, Berger martelou ligeiramente o vidro laminado para deixar pequenas rachaduras e fissuras que juntas formaram uma semelhança com a vice-presidente. A arte foi bem recebida quando foi exposta no National Mall em Washington DC, entre o Monumento a Washington e o Lincoln Memorial.

No vídeo abaixo, em inglês, o artista suíço mostra a técnica que ele utiliza para transformar uma folha de vidro em arte:

Conteúdo externo

Telhado de vidro

O termo "glass ceiling" refere-se à barreira muitas vezes invisível que muitas mulheres enfrentam quando lutam pelo sucesso na carreira. O trabalho de Berger ilustra o rompimento desta barreira por Harris, que é ao mesmo tempo a primeira mulher a ser vice-presidente dos EUA, negra, de origem sul-asiática, e formada em uma universidade historicamente negra.

Apoio de rede

A obra foi encomendada pela ChiefLink externo, uma rede privada para conectar e apoiar as mulheres líderes, e apresentada pelo Museu Nacional de História da MulherLink externo, em Washington. O retrato de vidro de quase dois metros de altura, que pesa cerca de 160 quilos, foi retirado do Mall desde então; o museu está considerando agora colocá-lo em exposição ou enviá-lo em uma turnê.

Adaptação: Fernando Hirschy

Artigos citados

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.