Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Polanski sai da prisão de Winterthur na Suíça

Polanski espera decisão sobre extradição para os EUA em sua casa de férias em Gstaad, nos Alpes suíços.

(Keystone)

Depois de depositar uma fiança de 4,5 milhões de francos, o cineasta Roman Polanski encontra-se entre a cela de uma cadeia do estado de Zurique e seu chalé em Gstaad, nos Alpes, onde permanecerá em prisão domiciliar.

O diretor de cinema franco-polonês deixou nesta quinta-feira (3/12) a prisão distrital de Winterthur, no cantão (estado) de Zurique, onde estava preso desde 26 de setembro, e foi levado para um lugar não identificado, informou o porta-voz da Secretaria Federal de Justiça, Folco Galli.

Ele explicou à agência de notícias Associated Press (AP), que a transferência foi motivada por "questões de segurança e proteção pessoal".

Segundo Galli, a autoridade quer garantir que o traslado de Polanski, nesta sexta-feira, para seu chalé em Gstaad, nos Alpes bernenses, ocorra sem problemas.

Em sua casa de férias no povoado famoso por abrigar uma estação de esqui e acolher representantes do jetset internacional, o cineasta aguardará em prisão domiciliar a decisão da Justiça suíça sobre o pedido de extradição apresentado pelos EUA.

Galli disse que a Secretaria Federal de Justiça está consciente de que a transferência do diretor franco-polonês para seu chalé não pode ser feita secretamente.

O mundo de olho em Gstaad

Desde o início da semana, jornalistas de todo o mundo esperam a chegada de Polanski diante de sua casa em Gstaad, inclusive com veículos de transmissão ao vivo.

Galli não quis informar onde o cineasta passaria a noite de quinta para sexta-feira. Ele confirmou, porém, que o cineasta deve chegar ao seu chalé por volta do meio-dia desta sexta-feira (horário local).

Na semana passada, o Tribunal Penal Federal da Suíça, em Bellinzona (sul), acatou um pedido dos advogados de Polanski para transformar a pena de prisão em prisão domiciliar.

O Tribunal impôs como condições o pagamento de uma fiança de 4,5 milhões de francos (US$ 4,5 milhões), a entrega dos documentos de identidade e vigilância eletrônica.

Em Gstaad, Polansli poderá se movimentar livremente e também receber visitas, mas terá de usar um bracelete para monitoramento eletrônico pela polícia.

Polanski fugiu dos EUA em 1978, antes de ser julgado pela acusão de ter mantido relações sexuais com uma adolescente. Ele foi preso em 26 de setembro passado, em Zurique, a pedido das autoridades norte-americanas. Se for extraditado, poderá ser condenado a, no máximo, dois anos de prisão.

swissinfo.ch com agências


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×