Navigation

FIFA aborta processo de propina contra Beckenbauer

A reputação da Beckenbauer foi abalada por repetidas alegações de irregularidades como administrador de futebol. Keystone / Barbara Gindl

O órgão mundial do futebol, FIFA, diz que esgotou o prazo para processar Franz Beckenbauer e outros dois dirigentes por supostamente pagarem subornos na montagem da Copa do Mundo de 2006.

Este conteúdo foi publicado em 26. fevereiro 2021 - 12:09
swissinfo.ch/mga

A câmara de julgamento da FIFA, que julga violações éticas, decidiu na sexta-feira que havia decorrido muito tempo desde que as supostas infrações aconteceram. Este anúncio foi feito apesar da câmara de investigação do Comitê de Ética da FIFA ter decidido em 2016 que os três réus violaram os códigos de suborno e corrupção.

A lenda do futebol alemão Beckenbauer, juntamente com Theo Zwanziger e Horst R. Schmidt, foram acusados de pagar um suborno de CHF 10 milhões (11 milhões de dólares) para garantir um financiamento de CHF 250 milhões para a Alemanha organizar o torneio da Copa do Mundo de 2006. Todos os três eram membros do comitê organizador da Copa do Mundo da Alemanha.

O pagamento foi feito em 2002 ao ex-chefe de futebol do Catar Mohamed bin Hammam, declarou a FIFA. Mas mesmo levando em conta que o esquema de corrupção durou até 2006, a câmara de julgamento decidiu que o estatuto de limitações expirou.

Um julgamento criminal suíço separado para corrupção em torno da Copa do Mundo de 2006 entrou em colapso no ano passado, também porque a acusação prescreveu.  

Artigos citados

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.