Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Grupo Crédito Suíço sai do vermelho

Grupo Crédito Suíço mudou de cor em 2003

(swissinfo.ch)

O segundo maior banco suíço teve um lucro líquido de 5,2 bilhões de francos suíços em 2003. No ano anterior, o CSG havia tido um prejuízo recorde de 3,3 bilhões.

O afluxo de novos capitais foi de 4,8 bilhões de francos suíços, em alta de 41% em doze meses.

No último trimestre, o CSG teve um lucro de 1,2 bilhões enquanto de outubro a dezembro de 2002, o prejuízo foi de 950 milhões. No entanto, o faturamento de 2003 foi de 26,8 bilhões, em queda de 4%.

O lucro se explica pela redução de 20% nos custos operacionais e as depesas com pessoal cairam 19%.

Redução de pessoal

Somando-se a empresas do grupo que foram vendidas, como a seguradora Winterthur, o segundo maior banco suíço cortou 22% do pessoal em um ano, com 60.837 funcionários no final de 2003, conforme consta do relatório anual divulgado em Zurique.

Oswald Grrübel, co-presidente do CSG, lembra que no final de 2002, "definimos as medidas necessárias para o grupo voltasse a ser rentável". Outro membro da direção, John Mack, do Crédito Suíço First Boston (CSFB) afirma que o objetivo é "continuar a respeitar a disciplina de custos e tirar proveito das melhores possibilidades de negócios para aumentar a rentabilidade em 2004."

Lucro maior no CSFS

Em datalhes, a filial CSFB teve um lucro líquido de 870 milhões de francos no passado enquanto perdia 1,2 bilhão em 2002. A filial financeira foi a mais rentável. O Crédito Suíço Serviços Financeiros (CSFS), que concentra os negócios na Suíça, teve um lugro de 4,3 bilhões, em 2003. No ano anterior perdeu 271 milhões.

"O setor de seguros teve ótimos resultados em 2003", comenta o CSG. O relatório atribuiu o desempenho pelos melhores resutados financeiros, corte nas despesas administrativas e aprimoramentos no pagamento de indenizações".

O rentabilidade das reservas foi de 17,2% (10% em 2002). O CSFS administrava 730,4 bilhões de francos (+6,3%) e o CSFB 478,6 bilhões (-0,8%), em dezembro de 2003.

Para o exercício atual, o CSG se diz otimista "devido a atividade de seus clientes no mercado e a um contexto econômico melhor". Em 2004, o grupo espera melhorar seus resultados em todos os setores de atividade.

Dividendos multiplicados por cinco

Esses bons resutados satisfazem os investidores. O conselho de administração do CSG decidiu fixar os dividentes em 50 centavos por ação para o exercício de 2003, ao invés dos 10 centavos de 2002.

A proposta será submetida a assembléia anual de 30 de abril e o pagamento, em caso de aprovação, será efetuado dia 12 de julho.

No entanto, os analistas não ficaram entusiasmados com os resultados do CSG. "É certo que são superiores de 40% ao esperado, afirma Christoph Ritschard, do Banco Cantonal de Zurique. Mas o CSG tirou proveito de alguns eventos estraordinários."

Ele cita como exemplo a alteração de uma lei fiscal na Alemanha, por exemplo, "quer permitiu lucro de 650 milhões de francos à seguradora Winterthur. Sem esses dados, o balanço do CSG teria outras nuances."

swissinfo com agências

Breves

- Le GSG est la 2e banque de Suisse après l’UBS.

- Son siège est à Zurich.

- Le GSG occupe quelque 60'800 collaborateurs dans le monde.

- Au 31 décembre, il gérait 1199 milliards de francs d’actifs.

Aqui termina o infobox


Links

×