Navigation

Homens dominam concurso de balé de Lausanne

Alexandra Valavanis, de Zurique: melhor candidata suíça. Keystone

Depois de seis dias de competição, foram premiados no domingo os sete vencedores do Prix de Lausanne, um dos mais renomados concursos anuais internacionais de balé para jovens dançarinos.

Este conteúdo foi publicado em 01. fevereiro 2010 - 14:16

Depois de um jejum de vários anos, a Suíça voltou a figurar no pódio. O prêmio de melhor dançarina suíça foi para Alexandra Valavanis, da Sitzerland Ballettschule, da Casa da Ópera de Zurique.

A premiação revelou um balé bastante masculino. Receberam bolsas no valor de 16 mil francos cada Cristian Emanuel Amuchastegui (Argentina), Francisco Mungamba Reina (Espanha), Mariko Sasaki (Japão), Caitlin Stawaruk (Austrália), Aaron Sharratt (EUA), Christopher Evans (EUA) e Lewis Turner (Grã-Bretanha).

O norte-americano Christopher Evans também ganhou o prêmio especial de interpretação contemporânea e Cristian Emanuel Amuchastegui (Argentina) com o prêmio do público, informaram os organizadores.

A final da 38ª edição do Prix de Lausanne, no Théâtre de Beaulieu, foi disputada por 81 candidatos entre 15 e 18 anos – um recorde. No total, 226 dançarinos de 36 países haviam se candidatado. Foram julgadas as apresentações de dança clássica e contemporânea.

Fundado em 1973 pelo industrial suíço Philippe Braunschweig e sua esposa Elvire Braunschweig-Krémis (formada em dança na União Soviética), o Prix de Luasanne foi o pontapé inicial para a carreira de muitos dançarinos profissionais nos últimos 30 anos.

O objetivo inicial do concurso era apoiar financeiramente talentos da dança de pequenas escolas regionais e possibilitar-lhes uma formação profissional. Nos últimos anos, porém, ele se tornou uma referência internacional. Os prêmios são financiados por patrocinadores, fundações e doadores.

A 39ª edição do Prix de Lausanne será de 1° a 6 de fevereiro de 2011.

swissinfo.ch com agências

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.