Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Língua materna ajuda integração de estrangeiros

Filhos de imigrantes procuram livros escritos nas suas línguas maternas.

(swissinfo.ch)

Bibliotecas públicas em Berna estão oferecendo livros infantis em outros idiomas. O objetivo é melhorar a integração dos estrangeiros na Suíça.

Outras instituições também investem na compra de material para despertar o desejo de leitura entre os imigrantes adultos.

- O rendimento geral nas escolas suíças é muito influenciado pela origem estrangeira de muitos dos nossos alunos. Essa realidade pode ser comprovada pelo teste PISA - declara Beat Zemp, presidente da Associação Suíça de Professores, durante um encontro de especialistas ocorrido no ano passado.

Stefan Wolter, diretor da Coordenação Suíça para Pesquisas de Ensino, uma organização com sede em Aarau, prefere ser mais direto. Logo após a avaliação apurada do teste de PISA, ele declarou à imprensa:

- Em nenhum país industrializado as crianças das classes baixas têm tão poucas chances como na Suíça.

Incentivos

Para a maioria dos pedagogos helvéticos, as crianças de origem estrangeira não são menos capazes do que os colegas suíços, porém precisam de estímulos especiais para o aprendizado de idiomas.

- A integração lingüística dos filhos de imigrantes é um dos pontos mais importantes da integração social desses grupos. Quanto maior a capacidade de leitura e escrita no idioma materno, mais fácil fica para essas crianças aprender também outros idiomas - analisa Christine Eggenberger, diretora da Biblioteca Kornhaus para a swissinfo.

Essa instituição, que funciona não apenas como a biblioteca pública de Berna, mas também como importante espaço cultural na capital suíça, está agora oferecendo livros infantis em outros idiomas, além daqueles que são falados no país.

Eles podem ser inclusive traduções de contos como "Branca de Neve" em albanês e alemão ao mesmo tempo, o que no entender da direção da biblioteca, possibilita ao jovem leitor uma base para aprender mais facilmente um dos idiomas nacionais.

Incentivo também aos pais

A análise acurada do teste PISA mostra que não apenas o vocabulário das crianças precisa ser melhorado, mas também o dos pais. A leitura seria um dos instrumentos mais importantes para se alcançar esse objetivo. Por isso, nada mais compreensível do que oferecer livros nos idiomas dos grupos mais importantes de estrangeiros que vivem na Suíça.

Por essa razão, cada vez mais bibliotecas estão investindo na compra desse material como já ocorre em Winterthur ou St. Gallen. Atualmente existem 14 bibliotecas interculturais na Suíça. Todas elas recebem os livros escritos em outros idiomas enviados de Solothurn, onde está sediada a "Bibliomedia Schweiz", também é conhecida como a "biblioteca das bibliotecas".

- Somos um depósito das bibliotecas interculturais. Fornecemos de tudo, indo dos livros ilustrados até romances, também para instituições na parte francesa e italiana da Suíça. Emprestamos as obras por um tempo determinado às bibliotecas locais para que elas possam sempre ter algo de novo no seu estoque. O que importa não é a quantidade de livros, mas sim a rotatividade deles nas prateleiras - explica a diretora Ruth Fassbind.

A Bibliomedia também é responsável pela tradução dos idiomas nacionais para os idiomas dos imigrantes.

Bibliotecas são pontos de encontro

A nova orientação "multicultural" de várias bibliotecas suíças obriga a uma certa orientação do atendimento ao público.

- Cada vez mais temos de ir de encontro ao público e não apenas esperá-lo - analisa Fassbind.

Na opinião da diretora, bibliotecas precisam se transformar em ponto de encontro para suíços e estrangeiros. Por isso, como ocorre na Holanda ou Finlândia, em muitas delas os estrangeiros já podem administrar seus próprios acervos.

Um exemplo é a pequena biblioteca de Lyss. Nesse pequeno vilarejo não muito distante de Berna, a oferta de livros nos idiomas dos imigrantes ainda não atrai multidões, mas o interesse está crescendo.

swissinfo com agências

Breves

Segundo a OECD, a probabilidade da criança de uma família de pessoas sem formação universitária entrar na Suíça é reduzida como em nenhum outro país industrializado.

No teste PISA, a competência de leitura dos jovens suíços de 15 anos foi considerada mediana.

Para os especialistas, os baixos resultados do teste PISA nas escolas suíças estão ligados à grande concentração de imigrantes no país (Suíça com 20% e Zurique com 42%).

As bibliotecas suíças querem melhorar a leitura e fala das crianças de famílias de imigrantes oferecendo livros infantis nos seus idiomas. Dessa forma elas querem melhorar a integração delas.

Aqui termina o infobox

Fatos

As bibliotecas de bairro em Berna oferecem livros infantis em albanês, árabe, inglês, francês, italiano, sérvio-croata, português, espanhol e tamil.
As quatorze bibliotecas cantonais oferecem agora romances escritos em outros idiomas.
Os livros são emprestados pela instituição "Bibliomedia Schweiz" em Solothurn no esquema de revezamento.

Aqui termina o infobox


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.