Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Ministro escreve o blog mais lido da Suíça

Leuenberger: o mais lido quase não lê outros blogs.

(swissinfo.ch)

Os blogs do ministro das Comunicações, Moritz Leuenberger, e do ex-ministro da Justiça, Christoph Blocher, dominaram os debates no terceiro Blogcamp suíço, em Zurique.

O encontro, que fez parte da programação do primeiro Dia Nacional da Informática, mostrou que a blogosfera suíça é formada por ilhas lingüísticas e tem pouca influência sobre a opinião pública do país.

Quantos blogs helvéticos existem? O site Blogug.ch lista 3184 "blogs conhecidos da ou sobre a Suíça". O agregador Slug.ch cita 2.200, mas há também estimativas que oscilam entre 5 e 10 mil.

Independentemente desses números, os blogueiros ainda são um grupo inexpressivo no cenário da mídia suíça. Os 120 que vieram a Zurique quase sumiram entre os 10 mil visitantes da Informática08, nesta sexta-feira (29/08), no Parque Tecnológico.

Mas eles conseguiram atrair a atenção com uma estrela: o ministro das Comunicações, Moritz Leuenberger, autor do blog mais lido do país. Cerca de três mil usuários acessam diariamente as elocubrações que ele publica em ritmo semanal.

Leuenberger contou que a idéia de iniciar o blog lhe foi sugerida por um amigo francês. "Quando eu comecei (há um ano e meio), os jornais debocharam de mim. Pareciam ter medo da concorrência", brinca. "Todos os novos meios de comunicação modificam os velhos, mas não acabam com eles. Hoje muitos jornais também têm seus blogs."

O ministro revelou que escreve a maioria de seus postings no trem, entre Berna e Zurique, e que raramente lê outros blogs. "Sei que essa é uma falha terrível", admitiu. Ele disse que se inspira nos comentários dos leitores e em acontecimentos do cotidiano para escrever.

TV de Blocher na Web

Leuenberger é o ministro que há mais tempo integra o governo colegiado da Suíça, mas se considera um "blogueiro novato". Seu principal rival na arena política e na blogosfera é o ex-ministro da Justiça, Christoph Blocher, eminência parda da União Democrática do Centro (UDC) – direita nacionalista.

O jornalista Matthias Ackeret, redator-chefe de persoenlich.com, contou suas experiências com o Teleblocher.ch, onde ele há um ano publica semanalmente uma entrevista com Christoph Blocher em forma de vídeo.

Também esse projeto foi bombardeado pela mídia no início. Ackeret nega, porém, que apenas afague Blocher e não faça perguntas críticas. "Isso não é um instrumento de publicidade e sim um projeto jornalístico", defende-se.

No Blobcamp, ele "vendeu" o Teleblocher.ch como "alternativa anarquista na internet", que deve ser protegida contra o excesso de regulamentação na Suíça. Não é verdade que só um bilionário como Blocher possa financiar uma plataforma dessas; a produção de um vídeo custa apenas algumas centenas de francos, disse.

Leuenberger e Blocher são duas excessões. Eles têm audiência porque já eram conhecidos antes de entrar na blogosfera. Fora esses dois, talvez se possa mencionar ainda Jürg Vollmer, chefe de comunicação da Biblioteca dos Cegos da Suíça e autor de um blog sobre a Rússia e a Ucrânia, o Krusenstern.ch.

"Um blog é um genial meio de transmissão de informação multimídia", disse ele recentemente ao jornal NZZ. "Como blogueiro, só preciso de uma máquina fotográfica, meu notebook e um acesso à internet para atingir mil pessoas todos os dias." Entre seus leitores encontram-se eslavistas, correspondentes em Moscou, diplomatas, homens de negócios e ativistas dos direitos humanos.

Ilhas linguísticas

Alguns blogs suíços são lidos no exterior, mas não em outras regiões linguísticas da própria Suíça. "Os blogs da Suíça francesa, por exemplo, são lidos na França, os da Suíça alemã, na Alemanha", relata Jens Wiese, imigrante alemão, autor do Blogwiese.ch.

Segundo ele, as fronteiras linguísticas são algo típico da blogosfera suíça. "Há uma pequena comunidade de blogueiros no Ticino, outra na Suíça francesa (cujo guru é Didier Durand), outra na Suíça alemã, e elas quase não se comunicam entre si."

O que é algo estranho. A Suíça, com suas diferentes regiões linguísticas e com a presença de tantos estrangeiros (21% da população), é um país predestinado para blogs multilíngües, comenta Andreas Kyriacou, autor de um blog bilíngue (kyriacu.ch).

Uma tentativa de construir uma ponte entre as regiões linguísticas, pelo menos para os suíços do estrangeiro, é o blog multilíngue da swissinfo (www.5ch.swissinfo.ch).

Uma outra constatação feita nas discussões do Blogcamp 3.0 é que há poucos blogs políticos na Suíça. Isso, segundo Jens Wiese, se deve à "obsessão suíça pelo consenso político", o que freia o debate controverso que caracteriza, por exemplo, a blogosfera nos EUA na atual campanha eleitoral.

Não é só isso. Segundo Sophie Graf, consultora de comunicação da Bernet.ch, muitos blogs sequer têm uma concepção clara. E sem isso, dificilmente funcionam. Ela observa, porém, que há uma crescente profissionalização dos blogs. "Já conheceço algumas pessoas que vivem disso."

Também elas são exceções. No Blogcamp de Zurique ficou evidente que a blogosfera suíça ainda tem pouco peso na formação da opinião pública ou da "inteligência coletiva" do país. "Os blogs ainda não conseguiram se estabelecer como fonte confiável de informação para os veículos de comunicação na Suíça", diz Sophie Graf.

swissinfo, Geraldo Hoffmann, Zurique

Informatica08

O primeiro Dia da Informática da Suíça (Informatica08) foi promovido pelo governo, em cooperação com empresas e instituições de ensino, para apresentar a informática de forma palpável à população, mostrar suas vantagens e incentivar os jovens a se formar nessa área.

Na Suíça, cerca de 150 mil pessoas trabalham no setor de tecnologias da informação, que gera aproximadamente 8% do Produto Interno Bruto. Mas há 8 mil vagas para especialistas de TI não ocupadas por falta de mão-de-obra qualificada.

Aqui termina o infobox


Links

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

×