Navigation

Quando guerra e revoluções estimulam a criatividade

Lembranças de infância no Líbano em guerra e cenas de rua no Cairo da revolução: Lena Merhej e Mohamed Shennawy incarnam um estilo de quadrinho árabe contemporâneo, ligado diretamente à realidade.

Este conteúdo foi publicado em 16. julho 2013 - 16:40

Aos 35 anos, a libanesa Lena Merhej é grafista e ilustradora, conhecida por seus desenhos das lembranças de infância da guerra civil no Líbano. Seu nome é fortemente ligado à Samandal, revista trilingue que ela fundou em 2007 para promover “quadrinho daqui e d’alhures”,
Mohamed Shennawy (34 ans) é grafista e desenhista independente. Com um grupo de amigos caricaturistas, ele surpreende as ruas do Cairo alguns dias antes da revolução do 25 de janeiro de 2011 lançando Tok Tok, considerada hoje como O Quadrinho para adultos no Egito.

swissinfo.ch encontrou-os em março em Lucerna, durante a 21a en mars à Lucerne, pour la 21ª edição do Festival Internacional do quadrinho.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?