Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Picasso de volta à Suíça

O Kunsthaus de Zurique reedita a exposição de 1932 dedicada à obra de Picasso.

O Kunsthaus de Zurique reedita a exposição de 1932 dedicada à obra de Picasso.

No Kunsthaus de Zurique, em 1932 realizou-se a primeira retrospectiva da obra de Picasso. A partir de 15 de outubro, o público poderá rever obras do artista espanhol.

O curador da exposição, Tobia Bezzola, resume os detalhes da amostra.

"A exposição de 1932 foi revolucionária somente pelo fato de ter sido realizada", disse Tobias Bezzola, curador da retrospectiva 2010. "Os Museus de Arte Moderna, como conhecemos hoje, foram criados nos últimos 25 anos."

Antes da Segunda Guerra Mundial, havia apenas algumas poucas instituições na Suíça, nos Países Baixos e nos Estados Unidos, que expunham arte moderna. "Em outros museus, só se podia ver as pinturas de antigos mestres como Delacroix, Courbet, Rubens e Velázquez."

O simples fato da obra de Picasso ter sido exibida em um museu e não em uma galeria já foi uma exceção, embora o artista já desfrutasse, em 1932, de uma grande reputação e suas obras já fossem as mais caras e conhecidas, disse Bezzola .

Picasso tinha 50 anos quando a exposição foi realizada e, fato raro, o pintor era o seu próprio curador. "Foi uma espécie de ponto de vista pessoal que Picasso dava sobre seus trinta anos de produção. Antes, Picasso só tinha feito algumas exposições com algumas obras."

Em 1932, 225 quadros foram apresentados, um terço dos quais fazia parte da coleção pessoal de Picasso. Cerca de 30 deles foram colocados à venda e o próprio Kunsthaus comprou um.

O centenário do Kunsthaus

O Kunsthaus está celebrando 100 anos de sua história. Para comemorar este acontecimento tentou-se "recriar" a exposição de 1932 com uma aposta ganhadora: a casa conseguiu reunir muitas das obras expostas por quase 80 anos.

"Durante anos não houve nenhuma retrospectiva da obra de Picasso. A última remonta aos anos 80 ", diz Bezzola. "Até então, só se realizaram algumas exposições parciais destacando alguns aspectos de sua criação."

É algo que não faz sentido, por causa dos custos do seguro. Não existem muitas instituições que podem se dar ao luxo de fazer uma grande retrospectiva. "O fato de que queríamos reconstruir cientificamente a exposição histórica de 1932, deu-nos os argumentos para convencer os proprietários a porem à nossa disposição as pinturas do mestre."

Demorou cerca de cinco anos para que Bezzola e seus colegas identificassem as pinturas da exposição de 1932. Um trabalho enorme, pois o catálogo não contém nenhuma reprodução, apenas números e títulos das obras.

“Uma evolução diversa e endiabrada”

Tobia Bezzola está impaciente para ver como o público vai reagir diante desta nova retrospectiva, que permitirá admirar e identificar a diversidade e a capacidade evolutiva do artista. O que é particularmente brilhante é "a sua evolução constante da mente." O curador tem o prazer de mostrar essa evolução "diversa e endiabrada."

A exposição excluiu a apresentação de trabalhos posteriores. No entanto, segundo Tobia Bezzola, Picasso já tinha desenvolvido seu repertório formal: "É indiscutível que a obra realizada até 1932 foi a mais importante."

Assim, a amostra não leva em conta a imagem de pacifista que Picasso se forjou com sua pomba da paz e, principalmente, com Guernica. "O Picasso de 1932 não era nem pacifista, nem comunista. Foi assim até 1937, quando a Guerra Civil Espanhola estourou em toda a sua fúria, e durante a Segunda Guerra Mundial, a Guerra Fria e a Guerra da Coréia, quando se engajou politicamente através de sua pintura."

"Essa exposição mostra a evolução estilística do início, a continuação da arte do final do século e o surrealismo. O que os visitantes podem ver são naturezas-mortas, paisagens, retratos, enfim, todos os gêneros da pintura ", diz o curador.

A exposição

De 15 de outubro a 30 de janeiro de 2011

Fechado às segundas.

Sábados, domingos, terças-feiras das 10 às 18 horas.

Quarta, quinta, sexta-feira: 10 a 20 horas.

Horários especiais durante as férias.

Possibilidade de ver a exposição com um guia áudio gratuitamente

Aqui termina o infobox

70 obras

O Kunsthaus expõe 70 quadros dos primeiros períodos de Picasso, os chamados azul e rosa.

As obras vêm de acervos de museus da Europa, Japão e EUA.

Aqui termina o infobox

Biografia

Pablo Diego José Francisco de Paula Juan Nepomuceno María de los Remedios Cipriano de la Santísima Trinidad Ruiz y Picasso, ou simplesmente Pablo Picasso (Málaga, 25 de outubro de 1881 — Mougins, 8 de abril de 1973), foi um pintor, escultor e desenhista espanhol, tendo também desenvolvido a poesia.

Foi reconhecidamente um dos mestres da arte do século XX. É considerado um dos artistas mais famosos e versáteis de todo o mundo, tendo criado milhares de trabalhos, não somente pinturas, mas também esculturas e cerâmica, usando, enfim, todos os tipos de materiais. Ele também é conhecido como sendo o co-fundador do Cubismo, junto com Georges Braque.

(Fonte: Wikipédia)

Aqui termina o infobox


(Adaptação: Fernando Hirschy), swissinfo.ch


Links

×