Navigation

Governo suíço decide não reforçar as medidas contra a pandemia

Domingo à noite em Davos: assistindo à partida de hóquei no gelo do conforto socialmente distante de um carro. Keystone / Gian Ehrenzeller

O governo diz que a situação epidemiológica na Suíça continua preocupante, mas acredita que as medidas tomadas em 18 de dezembro são apropriadas e não precisam ser reforçadas.

Este conteúdo foi publicado em 30. dezembro 2020 - 14:31
Keystone-SDA/ts

Em uma declaração na quarta-feira, o governo disse que continuaria a acompanhar de perto os desenvolvimentos e reavaliaria a situação em 6 de janeiro.

Em 18 de dezembro, o governo fechou todos os restaurantes e bares, centros esportivos e recreativos e outras instituições culturais por um mês. Permitiu que os cantões decidissem se deixariam as áreas de esqui abertas.

O valor de reprodução do vírus está atualmente abaixo de 1 (0,86 em 18 de dezembro), o governo observou na quarta-feira. "Entretanto, esta diminuição e o baixo número de novos casos relatados nos últimos dias devem ser vistos com muita cautela. Eles podem ser explicados em grande parte pela diminuição dos testes realizados durante as férias e pela demora na notificação de novos casos, hospitalizações e mortes", disse o anúncio.

Na terça-feira, o presidente da força-tarefa científica Covid-19 do governo pediu uma redução imediata do número "triste" de casos e a generalização dos testes da população.

Após o surgimento de novas variantes de rápida disseminação do coronavírus no Reino Unido e na África do Sul, o governo tomou medidas em 21 de dezembro para evitar ou retardar sua disseminação na Suíça.

"Até hoje, sete pessoas infectadas com esta nova variante foram identificadas graças à pesquisa intensificada das sequências genéticas dos testes positivos", acrescentou.

O governo disse que as medidas decididas em 18 de dezembro foram, portanto, muito importantes para limitar o número de novos casos e retardar a propagação dessas novas variantes. Entretanto, "se estas novas variantes continuarem a se espalhar, medidas adicionais não podem ser descartadas".

Desde o início da pandemia, 442.481 pessoas testaram positivo para o vírus e 6.909 morreram na Suíça, que tem uma população de 8,5 milhões.

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

Partilhar este artigo