Navigation

Ricos estão cada vez mais ricos

Capa dourada para a classificação das grandes fortunas suíças. swissinfo.ch

Em um ano, a fortuna dos 300 habitantes mais ricos do país aumentou 17%, totalizando 369 bilhões de francos.

Este conteúdo foi publicado em 24. novembro 2004 - 14:56

O tradicional repertório das fortunas na Suíça é feito pelas revistas de economia Bilan e Bilanz.

Como no ano passado, o dono da maior fortuna na Suíça em 2004 é um sueco. Ingvar Kamprad é dono da rede de móveis populares Ikea, vive no cantão de Vaud (região oeste) e, segundo a revista econômica Bilan, teria uma fortuna avaliada entre 15 e 16 bilhões de francos.

Aos 78 anos, o homem leva uma vida modesta e afirma que investiu todo o seu dinheiro numa fundação com o mesmo nome da sua empresa. Ela nunca entrou na Bolsa e atualmente é administrada pelos filhos.

A segunda maior fortuna seria a da família Rausing, propietária da marca Tetra-Pak. Também de origem sueca, ela possuiria entre 14 e 15 bilhões de francos suíços.

Seguem-se as famílias Oeri e Hoffmann, donos da maioria das ações da Roche (12 a 13 bilhões) e Ernesto Bertarelli, dono da Serono Biotecnologia e, nas horas vagas, da Alingh, equipe que ganhou a Copa América de vela (9 a 10 bilhões).

23 novos bilionários

A revista econômica suíça começou a lista dos mais ricos em 1989. Naquela época aparecida somente a lista das 100 maiores fortunas. De lá para cá, a fortuna global dos milionários foi multiplicada por seis.

Na edição 2004, foram acrescentados mais vinte e três nomes. Uma das estréias mais espetaculares vem da França, pois vários membros da família Peugeot (automóveis) instalaram-se no cantão de Vaud. Eles teriam uma fortuna avaliada entre 5 a 6 bilhões de francos suíços.

Entre os novos nomes estão também os herdeiros da família Geiger, que recentemente vendeu por milhões de dólares a empresa Gaba, onde são produzidas as marcas de pasta dental Elmex e Aronal.

Schumi, o que ganha e o que perde

Na média superior da lista de grandes fortunas está o piloto de Formula 1, Michael Schumacher. Bilan calcula a fortuna do alemão entre 800 a 900 milhões de francos suíços. Ele também mora no cantão de Vaud.

A progressão mais espetacular entre os afortunados em um ano foi a de Hansjörg Wyss, que vendeu sua participação na Synthes, especialista em produtos ortopédicos, e aparece na lista com 9 a 10 milhões de francos.

Na outra ponta dos milionários, a queda mais acentuada foi a do dinamarquês Kjeld Kirk Kristiansen, dono da Lego (brinquedos de montar). Ele perdeu 1,8 bilhão com a baixa das ações na Bolsa. Mas ainda lhe resta 1,5 a 2 bilhões de francos suíços para sobreviver ...

O ministro mais rico

De um ano para cá, o governo federal suíço tem seis ministros "pobres" e um rico. Não que ele tenha ficado rico na política. Christoph Blocher é ministro da Justiça e Polícia e 58° na lista dos bilionários como ex-patrão do grupo EMS-Química.

Com fortuna estimada entre 2 a 3 bilhões de francos suíços, ele é certamente o ministro mais rico da Suíça de todos os tempos.

Para dar uma idéia da montanha de dinheiro acumulada pelos 300 habitantes mais ricos, a Bilan calcula que o total seria suficiente para pagar os salários de todos os trabalhadores da Suíça durante um ano e meio.

Mas parece que os suíços não precisam disso, conforme reportagem de outra revista econômica, Cash, publicada na semana passada.

Um país de milionários

Segundo o semanário, um em cada 25 suíços declara fortuna de um milhão de francos suíços ou mais. Ou seja, o país teria 154 mil milionários.

Cash chegou a essa conclusão verificando os dados do fisco dos cantões (estados). Considerou também os depósitos bancários e o valores mobiliários e imobiliários.

Os cantões com mais milionários são Zug e Zurique, onde representam 6,2% dos contribuintes. O que tem menos milionários é o Jura, com somente 1% da população.

O número de milionários na Suíça creceu 23% desde 1997. Estudo do fisco federal indicava naquele ano que o país tinha 117 mil milionários, 3% dos contribuintes.

A alta é explicada por fatores demográficos - como o envelhecimento da população - mas também fiscais. Muitos estrangeiros milionários vieram morar na Suíça, em cantões considerados paraísos fiscais. É o que demonstra também a classificação da Bilan.

Na outra ponta da escala social, 60% dos lares possuia, em 1997, fortuna inferior a 50 mil francos e 31% não tinha qualquer fortuna.

swissinfo com agências

Breves

- Desde 1989, as revistas Bilan e Bilanz publicam a listas dos habitantes mais ricos da Suíça.

- A maior fortuna do país (15 a 16 bilhões de francos suíços) pertence ao sueco
Ingvar Kamprad, fundador e dono da rede de móveis Ikéa.

- O ministro da Justiça e Polícia Christoph Blocher, ex-empresários que entrou governo há um ano, aparece em 58° lugar na lista dos mais ricos, com 2 a 3 bilhões de francos suíços.

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?