Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Suíço vende sua pele tatuada por 150 mil euros

Tim Steiner vira peça de exposição.

(sf/Paolo Foschini)

O zuriquense Tim Steiner é o primeiro ser humano a vender sua pele tatuada. Um colecionador alemão pagou 150 mil euros pela obra de arte do artista belga Wim Delvoye.

O comprador reserva-se o direito de usar Steiner em exposições e garantiu em cartório a herança da pele tatuada.

"TIM" é o nome da obra de arte tatuada nas costas de Tim Steiner, um músico de 31 anos, de Zurique. O autor da tatuagem é o artista plástico belga Wim Delvoye, que costuma ironizar a sociedade consumista em suas obras (leia mais sobre ele na coluna ao lado).

De acordo com o contrato assinado na última sexta-feira (29/08), o colecionador alemão tem o direito de expor a obra três a quatro semanas por ano, de levar Steiner para eventos e ou alugá-la para ser vista em ambiente privado, informou Stephanie Schleiffer, da Galeria De Pury & Luxembourg, à agência de notícias suíça SDA.

O valor da transação, fechada após dois anos de negociações, será dividido entre o artista e o tatuado. O comprador pode revender ou herdar a "obra móvel" e, após a morte, literalmente tirar o couro de Steiner.

Esse negócio insólito, no entanto, é juridicamente delicado. Contratos vitalícios são proibidos – o comprador corre o risco de que Steiner mude de idéia. "O colecionador comprou também o risco de perder a obra", disse Schleiffer.

A galeria, no entanto, garantiu através de um documento assinado em cartório que os familiares do tatuado não podem impedir, após a morte de Steiner, a retirada e herança da pela tatuada pelo colecionador.

Os tatuadores trabalharam 35 horas para realizar a obra concebida por Delvoye – um desenho representando uma imagem de Nossa Senhora sob o crânio de uma caveira.

Porcos tatuados



O artista conceptual Wim Delvoye chamou a atenção pela primeira vez em 1997, quando fez tatuagens em porcos anestesiados, o que também já era juridicamente controverso.

Por isso, o belga abriu na China, onde a legislação de proteção aos animais é mais frouxa, uma criação de "porcos de arte".

Segundo Schleiffer, os porcos de Delvoye hoje são vendidos por até 150 mil euros – com tendência a aumentar. Steiner, cuja pela tatuada agora também vale 150 mil euros, "será exposto" pela primeira vez na próxima semana em Cingapura e na China.

Delvoye especializou-se em contrastes estéticos, com os quais procura fazer uma paródia do comércio cultural.

swissinfo com agências

Perfil do artista

Wim Delvoye (nascido em 1965, em Wervik, Bélgica) é um assim chamado "artista conceptual".

Seu foco é a apresentação de contrastes estéticos, nos quais ele, através de ironia e humor, combina objetos decorativos com objetos funcionais do dia-a-dia e, com isso, questiona a sociedade de consumo.

Em sua obra mais famosa, "Cloaca", também chamada "máquina de cocô", ele conseguiu, após muitos anos de pesquisa e com a ajuda de cientistas, reproduzir o processo de digestão e produzir excremento visualmente igual ao do ser humano.

Exposições:
1999: Bienal de Veneza
1992: Documenta 9 (Kassel, Alemanha)

Fonte: Wikipedia

Aqui termina o infobox

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.