Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Um povoado suíço que desdenha as urnas

Por

Trub e suas fazendas típicas do Emmental.

(swissinfo.ch)

Um vilarejo típico da região do Emmental (centro) tem uma natureza esplêndida, bom queijo, gente trabalhadora e inclusive uma canção conhecida em todo o país. Mas Trub suscita comentários por seus cidadãos, segundo as estatísticas, são os eleitores mais preguiçosos da Suíça.

No entanto, olhando a praça principal de Trub, ninguém tem a impressão que a Suíça será abalada por isso.

É que a praça do vilarejo tem a característica essencial da região de Emmental, no estado (cantão) de Berna: a trindade terrena formada pela igreja, o botequim e a queijaria. Em volta desse núcleo estão instaladas cerca de 140 fazendas.

A igreja do povoado é o lugar onde antigamente eram anunciadas as decisões espirituais e dos déspotas. No botequim , os cidadãos mais influentes comentavam e resumiam essas decisões pouco antes de enviar-lhes às queijarias – ponto tradicional de encontro da juventude – para que fossem fixadas em um mural de informações.

O município hoje tem uma administração moderna. As decisões são tomadas na câmara, aplicadas na escola municipal e podem ser lidas na internet.

Trub na atualidade


"Moramos em um lugar com alta qualidade de vida", afirma à swissinfo Ernst Kohler, escrivão o município.

O que ele quer dizer é que Trub não tem rodovia, aeroporto, ópera, teatro nem bares, senão ar puro, tranquilidade, paisagem rural intacta, turismo moderado, trilhas excepcionais nas imediações de"Hausberg", o monte Napf, com suas veias de ouro.

"Temos água abundante, um verdadeiro castelo de água", acrecenta Kholer.

"Ainda há algo mais", explica por sua vez a presidente da câmara municipal Christine Reber-Eller: os jovens ainda sabem o valor de que dispõem".

Essa seria uma vantagem porque o vilarejo de Truber é, a seu ver, um lugar confiável, íntegro e apreciado por todos, patrões e empregados.

Debilidade estrutural


Tanto o escrivão como a presidente levam sutilmente a conversa para assuntos que também precupam em Trub.

"Aqui no interior do Emmental estamos diante de uma situação sem saída", afirma Kohler. Segundo ele, o conceito oficial é de um município com estrutura débil. "Os recurso para cumprir com nossas obrigações provém da redistribuição financeira do estado."

Em síntese, isso quer dizer que as comunas mais ricas do estado de Berna pagam para Trub. "E isso é lembrado a cada vez."

Por isso é preciso evitar o êxodo dos jovens, atrair novos habitantes, conservar a agricultura, atrair indústrias e impulsionar o turismo.

Conseguem atingir essas metas parcialmente, porém há derrotas. "Faz pouco tempo foi fechada nossa agência dos correios", afirma Kholer.

A verdadeira Suíça está em Trub


Mesmo assim, persiste em Trub a mais baixa participação eleitoral da Suíça.

"Isso nos tem abalado os ânimos", afirma a presidente da Câmara, Reber-Eller. "Queríamos nos desfazer desse rótulo e as campanhas nesse sentido deram resultados. Agora já estamos em uma situação intermediária."

Mesmo assim, Trub continua sendo muito falada. Graças ao yodel "Trueberbub" – a canção alcançou popularidade nacional e foi cantada tantas vezes por soldados suíços, dependendo de seu grau de alcoolemia – Trub é conhecida em toda o país e até se tornou uma referência da Suíça verdadeira e independente.

Mas o fato dos cidadãos de Trub não gostarem de votar também chamou a atenção da mídia.

Suíços do estrangeiro são cúmplices


Por outro lado, o vilarejo ficar perto da fronteira religiosa com o estado (cantão) de Lucerna, católico, mas Trub fica no cantão de Berna, protestante.

Nem todos queriam aceitar o novo credo surgido em Trub – de certo modo herdado pelos antigos ativistas do monastério beneditino – um movimento que se reconhecia no velho evangelho: os Batistas.

Perseguidos duramente nos séculos 17 e 18 pela autoridade de Berna, os Batistas do Jura fugiram para a Holanda e os de Ffalz para além-mares.

Daí que muitos suíços no estrangeiro têm raízes em Trub. Centro e quarenta e nove deles estão registrados nessa comuna como eleitores. Como apenas alguns votam realmente, cai ainda mais a participação eleitoral.

Área rural contra área urbana


A conduta eleitoral em Trub poderia, contudo, ser a expressão de um problema profundamente arraigado na Suíça: o notável distanciamento entre a Suíça rural e a Suíça urbana.

Muitos temas de votação referem-se mais à Suíça urbana porque é onde vive a grande maioria da população. "Muitas vezes, são assuntos que nada têm a ver com Trub", afirma o escrivão Ernst Kholer para explicar por poucos vão votar.

Isso não deve ser uma desculpa, precisa Kholer. Já melhoramos, porém se tivéssemos que votar a adesão da Suíça à União Europeia, tenho certeza que os eleitores de Trub compareceriam em massa."

Urs Maurer, Trub, swissinfo.ch
(Adaptação, Claudinê Gonçalves)

O MUNICÍPIO DE TRUB

Trub é uma comarca rural de montanha com alto índice de população agrícola.

Com uma superfície de 62 km2, é a 17a comuna (de 396) do estado de Berna.
População:

2009: 1.470
1990: 1.613
1910: 2.500

Ocorreu uma grande emigração de Trub, de modo que o município tem nada menos que 50 mil cidadãos com direito de voto.

Além da agricultura há algumas pequenas indústrias, sobretudo ligadas à madeira, algumas do setor terciário e um banco.

Tem 75 km de trilhas sinalizadas para o turismo pedestre.

O ponto culminante do município é o Napf (1.408 m), com vista desde o Schwarzwal até os Alpes suíços. Só se pode chegar lá a pé e está em parque protegido.

A existência de ouro no Napf é mais antiga do que a Suíça. Com 97,3%, é o mais puro do mundo. No entanto, as quantidades são tão ínfimas que só apaixonados garimpam o metal precioso.
Um certo senhor Maag, dono de um bar em Oberaargau, gaba-se de ter um dente de puro ouro do Napf.

Dr. Trueberbub é a canção que se tornou popular em todo o país. O texto foi escrito em 1875 pelo pároco de Truschachen Gottfried Strasser, a melodia é do compositor de yodel J.Rudolf Krenger (1854-1925).

Aqui termina o infobox


Links

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

×