Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Uma menina suíça de 10 anos dançando na Broadway

Jenny Mollet tem apenas dez anos, mas já está ha seis meses se apresentando na Broadway em Nova Iorque como atriz do espetáculo musical "A Cor Púrpura".

A família da menina é originária de Zurique. Há sete anos atrás eles decidiram emigrar para os Estados Unidos. Hoje eles vivem em New Rochelle, pequena cidade distante apenas meia hora de carro de Nova Iorque.

“Eu perdi a compostura e não parava de pular no carro. Eu gritava o tempo todo ‘sim, sim, sim’”, conta Jenny o momento em que ela soube através da sua mãe que havia sido selecionada para atuar no espetáculo musical "A Cor Púrpura".

Para a sua idade, apenas dez anos, Jenny tem uma presença de palco que impressiona qualquer crítico. Lá ela corre da esquerda para a direita e se movimenta como um peixe n’água. Ela é aberta e charmosa, mesmo com a jornalista que não pára de fazer perguntas sobre sua experiência. Nem em piadas ela economiza.

Imigração para os EUA aos três anos

Jenny nasceu em 1997 nos Estados Unidos, onde ela foi adotada pela família Mollet. Antes eles viviam em Zurique, onde a menina passou seus primeiros anos de vida. Quando os Mollet se mudaram para Nova Iorque – “um plano de longas datas”, como a mãe Carolina conta, a pequena Jenny só falava o dialeto suíço-alemão.

Mas rapidamente eles se adaptar ao novo país. Lá a menina aprende rapidamente o inglês, mas sem esquecer sua língua pátria.

Os laços com a Suíça ainda estão intactos e são mantidos vivos através de viagens e correspondência. Jenny não esconde que ela adora Biberlis e outros lugares de montanhas alpinas, onde ela esquia com uma paixão única.

Ela sempre tem saudades do seu irmão de 25 anos que ainda vive em Dietikon, nas proximidades de Zurique. Sempre que pode, ele vai aos Estados Unidos como o fez quando Jenny estreou na Broadway ou quando a mãe quebrou o joelho e teve de ficar por semanas de cama. Sascha não se incomodou nem de servir durante esse tempo todo como motorista da irmã.

Artista-mirim

“No momento toda a nossa vida está sendo organizada segundo a agenda de Jenny, conta a sua mãe enquanto esperamos a menina descer do palco. Então ela chega, pede licença aos fãs que estão esperando para pedir um autógrafo ao Fantasia, a grande estrela do show.

O mesmo ocorre mais tarde, quando levamos de volta Jenny ao espetáculo noturno no teatro. Lá ela dá um alô, ali ela cumprimenta outros conhecidos. A menina sempre está em ação.

Como um pequeno furacão, ela corre os degraus acima. No momento ela aproveita para me mostrar o quarto que divide com outras duas artistas-mirins durante as pausas. Elas são guardadas pelos olhos vigilantes de Bridget, uma jovem moça.

"Eu simplesmente adoro dançar”

Como é possível que Jenny, com apenas dez anos de idade, possa se apresentar na Broadway ? "Eu simplesmente adora dançar e cantar. Isso é a minha vida”, explica ela e olha com ternura para a mãe.

“Jenny começou muito cedo a se movimentar com a música ou imitar os passos dos mais velhos”, conta Caroline. Os primeiros passos ela aprendeu através do "Barney", um dinossauro que é personagem de uma famosa série televisiva para crianças.

Uma papel no “Quebra-Nozes”

Em Nova Iorque, Jenny recebeu seus primeiros cursos de dança e teve sua primeira apresentação aos quatro anos de idade. Isso ocorreu na peça “Quebra-Nozes”. “Eu sempre dancei sem problemas na frente de outras pessoas. Acho que nunca fiquei nervosa numa situação dessas. Talvez eu esteja agora um pouquinho ansiosa na Broadway, onde é possível que pessoas famosas estejam sentadas público”. Uma delas é Oprah Winfrey, a famosa co-produtora do show.

Junto com as aulas de dança, Jenny recebeu posteriormente cursos de canto. Desde o final de 2006 ela também tem um empresário. Pouco tempo depois de ter firmado seu primeiro contrato, depois de ter sido testada também para a peça “O Rei Leão”, Jenny foi selecionada para trabalhar na peça “A Cor Púrpura”. Em 9 de março foi sua primeira apresentação.

“Nós ensaiamos duas semanas, no total oito canções. Eu precisei aprender a atuar em três papeis diferentes de crianças, pois, em caso de necessidade, preciso substituir as outras”, conta.

Desde abril, Jenny tem um papel fixo na peça. A duração depende muito, entre outros fatores, de como ela vai crescer. O seu futuro ainda é uma carta aberta.

Sua mãe quer que ela tenha uma vida normal, como outras crianças de dez anos, seja através de encontros ou até mesmo festinhas infantis.

Obrigações escolares

Nos primeiros quatro anos, Jenny freqüentava a escola normalmente como outras crianças, apesar de não gostar de matemática.

A partir do quinto ano, que acaba de começar, Caroline Mollet vai ensiná-la em casa. A partir da sexta classe, a menina deve freqüentar uma escola especial, onde junto com o plano normal de aulas, ela terá lições de dança, canto e teatro.

As provas de admissão ocorrem no inverno. “Eu espero que isso funcione. Para nós é muito importante que a Jenny não possa apenas praticar suas paixões, dança e canto, mas que também tenha uma boa formação escolar”, afirma decidida sua mãe.

swissinfo, Rita Emch, Nova Iorque

Fatos

Jenny Mollet nasceu em 1997 nos Estados Unidos. Ela tem duas nacionalidades: suíça e americana.
Seus primeiros três anos de vida foram vividos em Zurique. Depois a família mudou-se para os EUA.
Aos quatro anos de idade ela teve sua primeira participação na peça "Nussknacker" (Quebra-Nozes). Depois ela atuou no teatro, em programas de TV e outros.
Desde fevereiro de 2007, ela atua na peça da Broadway intitulada "The Color Purple".
O dinheiro recebido por Jenny é depositado em uma conta bancária, da qual só terá acesso ao completar a maioridade. Para poder trabalhar, ela necessita da autorização das autoridades competentes.
O pai de Jenny trabalhou nos primeiros anos nos EUA para uma empresa suíça. Atualmente ele atua em uma empresa sueca do ramo da informática.

Aqui termina o infobox

"A Cor Púrpura"

The Color Purple, traduzido no Brasil como "A Cor Púrpura", é um romance epistolar da premiada escritora africana Alice Walker, que trata de questões de discriminação racial e sexual.

O livro teve os seguintes prêmios: Prêmio Pulitzer e o American Book Award. Desde 2005 a obra está sendo encenada na Broadway.

"A Cor Púrpura" também foi filmado pelo diretor americano Stephen Spielberg. Dentre os atores que atuaram no filme destacam-se Whoopi Goldberg, Oprah Winfrey e Danny Glover.

A obra conta a história da vida de mulheres negras no sul dos Estados Unidos por volta da primeira metade do século XX.

Aqui termina o infobox


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×