Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

"Athletissima", um encontro vital para o atletismo suíço



Lisa Urech, esperança do atletismo suíço, é patrocinada pelos dois grandes encontros de atletismo da Suíça.

Lisa Urech, esperança do atletismo suíço, é patrocinada pelos dois grandes encontros de atletismo da Suíça.

(Reuters)

Etapa importantel do atletismo mundial, o encontro de Lausanne é essencial para a promoção esportiva e financeira do atletismo na Suíça.

Criador da competição, Jacky Delapierre aposta na nova geração para “fazer bonito” no Campeonato Europeu de 2014 em Zurique.

Com um orçamento cada vez maior - 4,7 milhões de francos (U$ 5,64 milhões) - 17 milhões de espectadores em mais de 150 países e seus ingressos disputadíssimos, o encontro de atletismo de Lausanne navega há anos na onda do sucesso.

A admissão à elite mundial do atletismo foi consolidada no ano passado com a inclusão na prestigiada Liga de Diamante, que inclui os 14 maiores encontros do mundo.

Há 36 anos, um homem simboliza o encontro esportivo anual da capital olímpica: Jacky Delapierre, fundador do evento, amigo de Usain Bolt e de outros astros e estrelas do esporte.

Vice-presidente da Federação Suíça de Atletismo, Jacky Delapierre também está envolvido, junto com o Weltklasse de Zurique, na promoção dos talentos suíços. O objetivo é restaurar a imagem do atletismo suíço e estabelecer uma equipe competitiva para o Campeonato Europeu de 2014 em Zurique.

swissinfo.ch: Em primeiro lugar, uma palavra sobre o encontro. O astro do atletismo mundial, Usain Bolt não virá este ano a Lausanne. Uma grande decepção?

Jacky Delapierre: É possível fazer um encontro sem Usain Bolt, como também houve sem Carl Lewis e Michael Johnson no passado. Ele não vem por razões de calendário e de política esportiva. Ele tem realmente que estar presente no campeonato jamaicano, mesmo se não for correr. Mas já posso confirmar sua presença em 2012. Usain Bolt reservou a linha 5 dos 200m porque sabe que pode bater o recorde mundial da disciplina em Lausanne.

swissinfo.ch: Que outro astro ou estrela estará presente na competição?

JD: Não dá para esconder, faltam ícones no atletismo atualmente. No entanto, o quadro apresentado este ano é excepcional. Nunca houve tamanha densidade de atletas deste nível em Lausanne, principalmente nas corridas de meia-distância (800m e 1500m). As outras disciplinas também não ficam fora. Nos 100m, o duelo entre Asafa Powell, que correu em 9''72 em Lausanne há dois anos, e Christophe Lemaitre, que espera alcançar o recorde da Europa, promete ser emocionante.

swissinfo.ch: Quais atletas suíços estarão em Lausanne?

JD: Primeiro, Lisa Urech, que vai brigar com os melhores nos 100m com barreiras. Outra suíça, Beatrice Lundmark, vai se alinhar no salto em altura. Quanto a Irene Pusterla, que acaba de bater o recorde de salto de extensão da Suíça, insistimos para que esteja presente, mas o seu treinador tem outras prioridades para ela. Lamento esta escolha.

swissinfo.ch: Dois suíços entre 300 atletas do encontro, parece muito pouco. Isso reflete a situação do atletismo suíço?

JD: Não é possível mudar as coisas de uma hora para outra. Mas dá para perceber um reganho de interesse pelo atletismo entre os jovens. Em colaboração com a Weltklasse de Zurique e um grande banco suíço, criamos um conjunto de competições juvenis (Kid’s Cup) para nos ajudar a encontrar os melhores talentos de uma base bem larga. 60 mil jovens já participaram na operação. O objetivo é formar uma equipe competitiva para representar a Suíça durante o Campeonato Europeu que se realizará em 2014, em Zurique.

swissinfo.ch: Qual é o papel do “Athletissima” e do “Weltklasse”, dois importantes encontros da Suíça, na organização e na preparação do Campeonato Europeu?

JD: O campeonato será organizado como uma sociedade anônima cujos acionistas são Weltklasse e Athletissima. Por isso decidimos nos engajar ativamente para promover o atletismo entre os jovens. Também criamos centros regionais para atletas de elite que gostaríamos de ver na final em Zurique, em 2014. Lisa Urech, Clélia Reuse (100m barreiras) ou ainda Pascal Mancini (100m) já fazem parte desse projeto. A Suíça também tem uma equipe masculina de 4x100m muito competitiva, que visa a final dos Jogos de Londres.

swissinfo.ch: Sem o apoio desses encontros, os atletas suíços não teriam então nenhuma chance de estarem prontos para 2014.

JD: É óbvio. Athletissima e Weltklasse estão apostando alto para obter resultados em 2014. Se isso acontecer, será ainda mais fácil manter os nossos dois encontros. É um círculo virtuoso.

Precisamos de figuras carismáticas para estimular as vocações. Passamos por isso na década de 80 com Pierre Délèze, Markus Ryffel ou Werner Günthör. Todo mundo gostaria de poder reviver isso em 2014, e isso não é utópico. No entanto, precisamos investir, contratar técnicos especializados e liberar tempo para os atletas.

swissinfo.ch: Quais serão os atletas suíços do campeonato de 2014?

JD: Lisa Urech é atualmente a mais proeminente, mas os velocistas Pascal Mancini, Reto Schenkel e Cédric Nabé têm boa chance de brilhar. Mas, é só conseguindo bons resultados que se tornarão conhecidos. Graças às nossas relações, eles podem entrar mais facilmente em grandes competições e progredir enfrentando a concorrência.

swissinfo.ch: Não devemos nos especializar ainda mais nas categorias (saltos, lançamentos) onde a concorrência é menos acirrada do que no sprint e no meio-fundo?

JD: Os alemães se especializaram em lançamentos, e eles ganharam medalhas no Campeonato Mundial de Berlim, em 2009. Na Suíça, não temos nem talentos nem treinadores adequados para essas disciplinas. Por isso não escolhemos essa direção. Nos concentramos nos talentos e na capacidade já existente para poder levar esses atletas até o topo.

swissinfo.ch: O que podemos esperar da Suíça na próxima Olimpíada?

JD: Londres está perto demais. Apenas dois ou três atletas conseguirão garantir sua vaga, me refiro a Lundmark e Urech. Mas vai ser um bom trampolim para 2014.

Athletissima

Lausanne. A 36ª edição do encontro de atletismo “Athletissima” será realizada quinta-feira, dia 30 junho, no estádio da Pontaise, em Lausanne. Criado em 1976 por Jacky Delapierre, o encontro faz parte do circuito da Diamond League, que compreende os 14 maiores encontros do mundo. O Weltklasse, em Zurique, marcado para dia 8 dia setembro, também se juntou à primeira divisão do mundo do atletismo no ano passado.

Estrelas. Entre os principais eventos da noite, os 100m propõem um duelo entre Asafa Powell e Christophe Lemaitre. Nos 800m, David Rudisha, o queniano que quebrou o recorde mundial duas vezes em 2010, vai largar com grandes ambições. Outros nomes em vista, Dayron Robles (100m com barreira), Renaud Lavillenie (vara), Sanya Richards (400m) e Blanka Vlasic (salto em altura).

Curiosidade. A Sul-Africana Caster Semenya, campeã mundial dos 800m, cuja identidade sexual suscita controversa, estará em Lausanne. Duas suíças também estão no programa principal: Lisa Urech (100m barreiras) e Beatrice Lundmark (salto em altura).

Aqui termina o infobox

Alguns números

17: o número de eventos da Liga Diamante no programa do Athletissima.

32: o número de campeões europeus, mundiais e olímpicos presentes em Lausanne.

480.000: dólares, o "prize money" da noite, ou 30.000 dólares por disciplina. Um envelope com 30.000 francos suíços também é destinado aos atletas suíços convidados para competir em corridas "B".

80.000: número de quilômetros percorridos em um ano por Jacky Delapierre, o chefe do encontro, para convencer os atletas a participar do Athletissima.

4.700.000: francos suíços, o orçamento global do evento.

17.000.000 o número de espectadores que acompanharam o evento pela televisão no ano passado.

Aqui termina o infobox


Adaptação: Fernando Hirschy, swissinfo.ch


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×