Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Arte para deficientes visuais

Deficiente visual na exposição em Basiléia.

(swissinfo.ch)

Uma exposição de arte que pode ser apreciada também por deficientes visuais. Assim é a mostra «Cores do Silêncio», da artista plástica Cristina Portella, que fica em Basiléia até dia 24 de abril no centro cultural Brasilea.

As telas e outras instalações podem ser tocadas ou vistas bem de perto – e não há o risco de soarem alarmes, equipamentos comuns nos museus.

São cerca de 24 obras que retratam o tema borboleta. Diferentes espécies brasileiras, mostradas com variedade de texturas e de materiais. Os visitantes são convidados a tocar as telas para identificarem os contornos e desenhos das asas das borboletas. Algumas são aveludadas, graças ao uso do feltro. Outras um pouco mais ásperas, com asas representadas por pedaços de madeira ou mesmo clips.

Como a idéia é estimular os outros sentidos, alguns quadros aguçam o olfato, com aromas de canela ou de madeira pau-rosa. Ao lado de cada uma delas a artista inclui uma explicação em Braile, com uma pequena descrição da tela.

Asas à imaginação



«Ao colocar um título e descrever o quadro trabalho um pouco com o imaginário do público», explica Cristina. Além dos nomes científicos e populares das borboletas, a artista descreve a cena do quadro. Em uma delas, por exemplo, conta que a borboleta voa a 20 quilômetros por hora; em outra narra que descansa em um galho de árvore à noite.

Cristina leva o visitante ao divertido mundo imaginário das artes. As pessoas que perderam a visão lembram-se da cena e aquelas que nunca a viram podem imaginá-la – como quiserem.

A deficiente visual e auditiva Christine Fiechter visitou a mostra acompanhada de duas amigas deficientes visuais, Sabine Eng e Erika Scherrer, e riu muito da descrição da borboleta em vôo. «Viemos na abertura e hoje trouxemos nossa amiga porque gostamos muito», disse Sabina Eng, que tem baixa visão.

Tamanho das telas

As monitoras são deficientes visuais e ajudaram a artista na montagem da exposição. De acordo com Cristina Portella, a disposição dos quadros e instalações tem de ser planejada. «A tela não pode ser maior do que 40 por 50 centímetros porque é o tamanho que a pessoa consegue percorrer o quadro com as mãos», diz. A visita também tem de ser orientada. Além das monitoras, o chão tem os marcadores de madeira que permitem melhor orientação ao deficiente visual.

A primeira exposição da artista foi «Olhos da Alma», quando retratou peixes da Amazônia. «Cores do Silêncio», que tem o apoio da Embaixada Brasileira em Berna, surgiu depois que pesquisou espécies de borboletas na mesma região.

A inspiração na natureza tem explicação. Cristina é geógrafa e tem especialização em artes plásticas. Catonephele Numilia, Ascia monuste, Morpho Menelaus estão retratadas por Cristina com criatividade, com materiais capazes de realçar as cores das espécies tropicais.

Numa das instalações, «Língua de Borboleta», a artista usa o antigo brinquedo língua de sogra para que o visitante toque algumas delas.

Monitoras deficientes visuais

«É uma experiência muito interessante e especial podermos tocar obras de arte», diz a monitora Verena Bresamle, deficiente visual com baixa visão. Na primeira semana, acompanhou uma escola com outra monitora, Beatrice Weiss. «Quando temos grupos grandes preferimos trabalhar em dupla», disse.

«As crianças brincam mais com o fato de perceber a obra sem olhar», explica. É a primeira vez que trabalha como monitora, mas está gostando da experiência. Toda semana Verena sai de sua casa em Riehen e vai ao centro cultural de tramm, acompanhada de seu cachorro, Orso.

«É muito bom poder trabalhar numa mostra como esta», conta. Quem não é deficiente visual pode usar vendas para visitar a mostra. Em vez de ver, tocar – e imaginar.

swissinfo, Lourdes Sola, Basiléia

Fatos

Cores do Silêncio vai até 24 de abril

Horário de abertura:
Quarta-feira e sexta-feira 14:00 ate 18:00 hs
Quinta-feira 14:00 ate 20:00 hs/ ou com visita agendada

A entrada custa fr. 8

Fundação Brasilea: telefone: +41(0)61 262 39 39

e-mail: info@brasilea.com

Aqui termina o infobox


Links

×