Manifestantes contra isolamento também vão às ruas na Suíça

Dois dias antes de começar a segunda fase da saída do lockdown na Suíça, a polícia denunciou várias pessoas que participaram de manifestações em quatro cidades do país, desrespeitando a interdição de aglomerações de mais de cinco pessoas em locais públicos.

Centenas de pessoas protestaram contra o isolamento pelo segundo fim de semana consecutivo Keystone

Centenas de pessoas se reuniram em Berna e Zurique, no sábado, cerca de 100 na Basileia e 80 em St. Gallen, para manifestar contra as medidas de isolamento impostas pelo governo há quase dois meses. Todos os protestos se dispersaram pacificamente, sem ação da polícia.

Em Berna, dois grupos de manifestantes ignoraram os avisos da polícia de que estavam violando as regras de distanciamento social que estão em vigor desde meados de março. Foram feitas denúncias contra "várias dezenas" de pessoas, disse um porta-voz da polícia à agência de notícias suíça Keystone/SDA.

Foi o segundo fim de semana consecutivo em que pessoas da parte de língua alemã da Suíça desrespeitam as regras de distanciamento social para protestar contra o “lockdown”.

Uma semana antes, a polícia dispersou várias manifestações em cidades da Suíça alemã, incluindo Berna e Zurique. Os protestos foram contra as restrições sociais e econômicas que estão em vigor na Suíça desde meados de março.

A ação policial foi questionada pelo grupo de direitos civis da Anistia Internacional.

Nesta segunda-feira, 11 de maio, algumas escolas, lojas e restaurantes poderão reabrir, mas muitos prédios públicos permanecerão fechados por mais semanas e as grandes concentrações de pessoas proibidas.

Até o momento, houve mais de 30 mil casos confirmados de Covid-19 na Suíça e mais de 1800 mortes.


Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo