Navigation

Fundador da IKEA viveu muitos anos na Suíça

Ingvar Kamprad, o fundador da loja de decoração e fabricante de móveis IKEA, faleceu aos 91 anos. Por décadas, o empresário sueco viveu na Suíça, onde se beneficiava do sistema fiscal para 

Este conteúdo foi publicado em 29. janeiro 2018 - 11:45
ATS-SDA/sm
Ingvar Kamprad, ao ser fotografado em 2012 em Lausanne. Keystone


Cercado por amigos e familiares em sua residência na Suécia, Kamprad faleceu no sábado após uma doença repentina, comunicou a IKEA à imprensa no domingo. Ele era uma das pessoas mais ricas no mundo e sua família continua a estar na primeira posição das mais ricas da Suíça, como publicou a revista de negócios Bilanz em seu número de novembro.

A Bilanz estima que a fortuna da família de Kamprad chega a 49 bilhões de francos (US$ 52 bilhões). Depois de Ingvar Kamprad retornar à Suécia há pouco, seus filhos Peter, Jonas e Mathias continuaram a administrar os negócios da família a partir da Suíça. Nascido em 1926 em Småland, vilarejo ao sul da Suécia, Kamprad fundou a IKEA quando tinha 17 anos.

"Ingvar Kamprad foi um grande empreendedor no estilo do sul da Suécia, ou seja, trabalhador e teimoso, com muito calor humano e também brincalhão aos seus olhos. Ele trabalhou até o último dia da vida, mantendo-se fiel ao seu próprio lema que as coisas ainda estão por ser feitas", publicou a empresa no seu site.

A primeira loja da IKEA fora da Suécia foi aberta nos subúrbios de Zurique em 1973. Para Kamprad, era a loja onde podia fazer seus testes de mercado. "Se funciona na Suíça, funciona em qualquer lugar."

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.