Navigation

Português escolhido para chefiar segundo maior banco suíço

O candidato para substituir o atual presidente do conselho de administração do Credit Suisse, Urs Rohner: o português Antônio Horta-Osório. Keystone / Andy Rain

O Credit SuisseLink externo apresentou o banqueiro português Antônio Horta-Osório aos acionistas para substituir o atual presidente do conselho de administração do segundo maior banco da Suíça, Urs Rohner. A candidatura do atual presidente-executivo do banco britânico Lloyds será levada à votação na próxima assembleia anual, prevista para ocorrer em 30 de abril de 2021.

Este conteúdo foi publicado em 01. dezembro 2020 - 14:00
ATS/Keystone e Reuters

De acordo com o comunicado enviado à imprensaLink externo, o banqueiro português foi escolhido como o candidato favorito por um comitê de especialistas do banco. A busca foi muito "orientada internacionalmente", afirma o porta-voz do Credit Suisse.

Horta-Osório iniciou a sua carreira no mundo das finanças em 1987 no Citigroup em Portugal. Entre 1991 e 1993, trabalhou em finanças corporativas na Goldman Sachs em Nova Iorque e Londres. Em 1993 ingressou no Grupo Santander, onde foi responsável por diversas funções executivas, desenvolvendo os negócios em vários países importantes: primeiro como CEO do Banco Santander de Negócios Portugal até 1996; depois entre 1997 e 2000 como CEO e presidente do Banco Santander Brasil. De 2000 a 2006 foi CEO do Banco Santander em Portugal e, de 2006 a 2010, CEO do Santander na Grã-Bretanha. Em 2011 foi nomeado para dirigir o Lloyds Bank.

Urs Rohner, atual presidente da administração e que se aposenta em 2021 após atingir o limite estatutário de 12 anos no cargo, afirmou estar "extremamente satisfeito por propor um profissional altamente reconhecido e com ampla experiência no mundo financeiro internacional" como seu sucessor. "Antônio Horta-Osório vai dar um enorme contribuição para o futuro de sucesso do nosso banco como líder global na gestão de fortuna e de investimentos, escreve o comunicado.

Embora a votação ainda não ter ocorrido, o banco Lloyds já anunciou na segunda-feira que Horta-Osório será substituído por Charlie Nunn, atual chefe da divisão Wealth & Private Banking do HSBC, informa a agência de notícias Bloomberg.

Horta-Osório vive atualmente em Londres, é casado e tem três filhos já crescidos. Segundo a imprensa britânica, é um apaixonado jogador de tênis e já participou de várias campanhas de sensibilização a problemas psicológicos, após este mesmo ter sofrido um burnout durante a crise financeira. 

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

Partilhar este artigo