Suíços pagam um bilhão a mais com seguros de saúde

Um estudo revelou que os suíços pagam demais por seus seguros de saúde, principalmente devido ao alto custo dos produtos farmacêuticos.

Este conteúdo foi publicado em 14. outubro 2019 - 10:00
Agora a culpa é dos preços dos medicamentos Keystone

A pesquisa realizada pela Santésuisse, organização que defende os interesses das seguradoras de saúde do país, diz que os cidadãos suíços pagam mais de CHF 1 bilhão (US$ 1 bilhão) a mais em planos de saúde. Segundo o jornal SonntagsZeitung, a organização chegou a essa conclusão calculando quanto os suíços poderiam economizar se os custos farmacêuticos se situassem no mesmo nível de países comparáveis da União Europeia.

O presidente da Santésuisse, Heinz Brand, exorta o governo a agir, dizendo que não se pode mais tolerar que "vários medicamentos cuja proteção de patentes expirou custem até 100% mais do que em outros países", de acordo com o jornal.

Brand pede uma revisão anual dos preços, mas a poderosa indústria farmacêutica do país se opõe a isso porque, segundo Anita Geiger, da associação Interpharma, "os custos para as autoridades e empresas triplicariam e não seriam proporcionais à economia de custos".

As mensalidades dos planos de saúde obrigatórios não param de aumentar e constituem um encargo importante para o orçamento de muitas pessoas.


Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo