Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Vendas de Tamiflu aceleram crescimento da Roche

Roche prevê vendas de Tamiplu no valor de 2,7 bilhões de francos para este ano.

(Keystone)

Graças ao aumento das vendas do antiviral Tamiflu, usado no combate à gripe suína, o faturamento da área de fármacos da Roche cresce com o dobro da velocidade do mercado mundial.

O grupo farmacêutico suíço registrou um faturamento total de 36,4 bilhões de francos nos primeiros nove meses deste ano – um aumento de 9% em relação ao mesmo período em 2008.

Por causa do medo de uma pandemia de gripe A(H1N1), a chamada gripe suína, as vendas de Tamiflu quase se multiplicaram por dez no terceiro trimestre, somando 994 milhões de francos suíços.

De janeiro a setembro de 2009, a empresa faturou 2 bilhões de francos só com esse medicamento, o que corresponde a um aumento de 362% em relação ao mesmo período no ano passado.

A Roche elevou de 2 para 2,7 bilhões de francos a previsão de faturamento com o Tamiflu para este ano. Em 2010, o antiviral deve render aos cofres da empresa 700 milhões de francos - cerca de 300 milhões de francos a mais do que o esperado até agora.

Com seus produtos farmacêuticos, o conglomerado obteve uma receita de 29 bilhões de francos nos nove meses deste ano, o que significa um aumento de 12% em moedas locais (9% em francos). Sem o Tamiflu seriam 6% - o mesmo índice do mercado mundial. A Roche não divulgou dados sobre lucro.

A empresa explica em comunicado que "esse crescimento extraordinário se deve a um forte aumento da demanda de Tamiflu por parte de governos e farmácias no segundo e terceiro trimestres. Só as vendas para a prevenção a uma pandemia somaram 1,380 bilhão de francos no período."

Remédios contra câncer

Os medicamentos contra o câncer continuam sendo os principais pilares da empresa, entre eles, o Avastin, que rendeu 4,7 bilhões de francos. Sete medicamentos produzidos pela empresa suíça superaram em setembro a marca de um bilhão de francos nas vendas.

Também o faturamento da área de diagnósticos cresceu 8% de janeiro a setembro e, com isso, superou a taxa de crescimento do mercado nesse setor.

Em uma conferência telefônica, o CEO Severin Schwan mostrou-se satisfeito com o "forte" terceiro trimestre. "As vendas das divisões de fármacos e diagnósticos crescem mais do que seus respectivos mercados." Graças aos resultados atingidos até agora, o grupo vai elevar suas previsões de faturamento no ano, anunciou.

Apesar dos bons resultados, no começo do ano que vem, a Rocha terá de cortar empregos com consequência da fusão dos serviços de informática das áreas de fármacos e diagnósticos, segundo informou a agência de notícias SDA, no último domingo (11/10). A empresa ainda não revelou detalhes dos planos de cortes.

O departamento de recursos humanos da empresa já foi centralizado. Com isso, o quadro de pessoal nessa área diminuiu 20%, mas os funcionários atingidos puderam ser reaproveitados em outros setores, segundo a SDA.

swissinfo.ch com agências

Roche

O grupo Roche tem 80 mil funcionários em 150 países, dos quais 9.500 (cerca de 10%) em seis cidades suíças.

A empresa faturou 36,4 bilhões de francos nos primeiros nove meses deste ano.

As vendas de Tamiflu renderam 2 bilhões de francos no período - um aumento de 362% em relação a janeiro-setembro de 2008.

O governo suíço mantém um estoque de 23 milhões de comprimidos de Tamiflu e 1300 quilos de Tamiflu em pó.

Aqui termina o infobox


Links

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

×