Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Especialistas suíços viajam ao Haiti



Muitas vidas a salvar depois do terremoto de magnitude 7 na escala de Richter.

Muitas vidas a salvar depois do terremoto de magnitude 7 na escala de Richter.

(Keystone)

Depois do terremoto que atingiu o Haiti na terça-feira (12/1), a Suíça já enviou um primeiro grupo de especialistas encarregados de avaliar a situação.

Na quinta-feira, um segundo grupo de técnicos suíços especializados em resgate de vítimas de terremotos viajará ao Haiti. Ainda não se tem notícias dos 150 suíços que vivem no Haiti.

Se for enviada a equipe completa de resgate ao Haiti, ela será composta de uma centena de pessoas e leverá 16 toneladas de material.

Por ora, uma equipe de intervenção de urgência está a caminho do Haiti, mas ainda não se sabe se o avião poderia pousar em Porto Príncipe, informou Toni Frish, diretor-adjunto da Agência de Cooperação e Desenvolvimento (DDC), órgão ligado ao Ministério das Relações Exteriores.

A equipe é formada por cinco membros do corpo humanitário suíço, de um membro do Ministério da Defesa especializado em resgate e de um representante da ONU encarregado da coordenação internacional.

Esse primeiro grupo vai avaliar a situação e as necessidades. Uma segunda equipe, formada por médicos, especialistas em abastecimento de água e em alojamento temporário, deve partir na quinta-feira de manhã, explicou a ministra das Relações Exteriores, Micheline Calmy-Rey.

O problema é que as informações que chegam do Haiti ainda são incompletas e é difícil tomar uma decisão de enviar a unidade completa de resgate, disse Toni Frish. Só que esperar muito tempo significa que há o risco de ela chegar tarde demais.

Micheline Calmy-Rey sublinhou que a DDC está em contato com a embaixada suíça e o escritório da agência no Haiti desde 1h da manhã de quarta-feira. Por enquanto, não há informações sobre eventuais vítimas entre os 150 suíços residentes no Haiti, segundo a chanceler.

Engajemento das ONGs

“Depois do violento terremoto, a Rede da Bondade (RB) e suas organizações humanitárias já colocaram 2,5 milhões de francos à disposição para ajuda imediata", conforme comunicado da RB divulgado quarta-feira.

A Cruz Vermelha Suíça, as ONGs Terra dos Homens, Exército da Salvação, Crianças do Mundo, Médicos do Mundo Suíça, Caritas Suíça, Ação de Quaresma, Novo Planeta, Iamaneh Suíça "atuam há anos no Haiti e podem intervir rapidamente através de seus parceiros locais", escreve a Rede da Bondade.

A Cruz Vermelha Suíça liberou 1 milhão de francos para ajuda de urgência. Uma equipe suíça deve chegar ainda hoje ao Haiti e entrar em contato com a Cruz Vermelha Haitiana. A Cruz Vermelha Suíça vai fornecer ajuda logística e médica. Vários voluntários da Cruz Vermelha Haitiana já trabalham ativamente em Porto Príncipe e nas imediações.

Cruz Vermelha Internacional está lá

"As pessoas tentam se consolar. O que ouvimos nas ruas são orações de agradecimento daqueles que sobreviveram", declarou o chefe da delegação da Cruz Vermelha Internacional (CICV), através de um comunicado.

Os haitianos passaram a noite fora "chorando e se lamentando", segundo o delegado da CICV, Ricardo Conti. "Nossa capacidade de ajudar as pessoas depende muito da situação em Porto Príncipe. É extremamente difícil de se locomover na cidade para avaliar as necessidades."

"É certo que o terremoto teve um forte impacto sobre a população, já castigada por outras catástrofes naturais", acrescentou o representante do CICV.

A Cruz Vermelha dispõe de estoques de ajuda não alimentar para 10 mil famílias. O CICV pretende concentrar seu auxílio nos sobreviventes, na identificação das vítimas e no reagrupamento familiar das pessoas separadas pela catástrofe.

Os nove suíços que trabalham para o CICV em Porto Príncipe estão sãos e salvos, mas o destino dos 59 empregados locais ainda não está claro.

swissinfo.ch com agências

Uma conta para doações

A Rede da Bondade, órgão de coleta de fundos da rádio e televisão suíça ( SSR idée suisse), que financia vários projetos no Haiti, abriu uma conta em favor das vítimas do terremoto.

A organização pretende, com ajuda de seus parceiros suíços de ajuda humanitária, pretende reforçar a ajudar de urgência à reconstrução.

As doações pode ser feitas através da conta postal l10-15000-6 com a menção «Haiti», ou via Internet.

Aqui termina o infobox

Haïti

A República do Haiti é um país das Grandes Antilhas.
Ela ocupa a parte ocidental da ilha Hispaniola (28 mil Km2).

Na parte oriental da ilha está a República Dominicana.

A capital do Haiti é Porto Príncipe.

População : mais de 9 milhões de habitantes.

80% dos haitianos vivem abaixo do nível de pobreza e mais de 50% na miséria total.

Em 2008, quatro ciclones provocaram 800 mortos no país e enormes danos matérias nas estradas e no setor agrícola.

Aqui termina o infobox
(swissinfo.ch)


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×