Navigation

Cantões suíços proíbem passeatas contra medidas sanitárias

Manifestantes silenciosos em um evento em Wohlen, cantão de Berna, em fevereiro. Keystone / Urs Flueeler

Autoridades da cidade suíça de Rapperswil recusaram um pedido para uma manifestação contra as medidas de combate à Covid-19 - a segunda vez após uma grande manifestação realizada em Liestal, na Basileia, há dez dias.

Este conteúdo foi publicado em 31. março 2021 - 09:00
swissinfo.ch/fh

Membros do grupo "Stiller Protest" (Protesto Silencioso) esperavam realizar uma passeata na cidade do cantão de St Gallen no dia 24 de abril, seguindo uma linha de protestos que vêm crescendo em tamanho.

Entretanto, as autoridades locais rejeitaram a ideia na terça-feira, dizendo que não só os números atuais de casos de Covid estavam aumentando no país, mas que a experiência das recentes manifestações mostrou que as regras sanitárias (distanciamento social e uso de máscara) não são respeitadas pelos participantes.

No dia 20 de março, cerca de 8.000 pessoas participaram de uma passeata organizada pelo mesmo grupo em Liestal, no cantão da Basileia; lá, as medidas contra o coronavírus mal foram respeitadas, disseram as autoridades de Rapperswil em sua nota proibindo a manifestação na terça-feira.

As autoridades de Rapperswil também disseram que o número de 1.000 participantes estimado pelos solicitantes era "claramente baixo demais".

Desde o primeiro evento organizado pela "Stiller Protest" em outubro passado, onde 50 pessoas manifestaram em Zurique, seu alcance geográfico e seu número tem crescido quase exponencialmente. Há quinze dias, 4.000 pessoas protestaram em Coira, no Cantão dos Grisões.

A decisão atual também vem após as autoridades do cantão de Uri rejeitarem, na semana passada, uma manifestação contra as medidas sanitárias que deveria ser realizada em uma área agrícola no dia 10 de abril. Lá, cerca de 10.000 pessoas eram estimadas a comparecer.

Situação atual

Segundo as regras atuais de combate à Covid-19 na Suíça, são permitidas reuniões ao ar livre de até 15 pessoas em público. São permitidas grandes manifestações políticas, desde que recebam o aval das autoridades locais. As reuniões privadas são limitadas a 10 pessoas.

Patrick Mathys, chefe de gerenciamento de crises do Ministério da Saúde, disse em uma coletiva de imprensa na terça-feira que a situação do vírus na Suíça era "incerta".

"Infelizmente, o número de casos na Suíça continua a aumentar; as hospitalizações e mortes estão atualmente relativamente estáveis", disse ele.

O número de novas infecções tem aumentado lentamente desde o final de fevereiro. Na terça-feira, o número de novos casos confirmados de coronavírus na Suíça era de 1923. A média de sete dias (1782) subiu 19% no mesmo dia na semana passada. A taxa de reprodução é de 1,19.

Pouco mais de meio milhão de residentes suíços estão totalmente vacinados, cerca de 6,2% da população.

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.