Navigation

Consumo de álcool na Suíça é mais alto que a média da OCDE

Torneiras de cerveja esperando para serem re-abertas em um bar de Fribourg. Keystone / Jean-christophe Bott

Um estudo internacional coloca a Suíça acima da média quando se trata da ingestão de álcool, embora os consumidores de álcool tenham diminuído o ritmo durante a pandemia.

Este conteúdo foi publicado em 20. maio 2021 - 11:33
Keystone-SDA/dos

O estudo publicado na quarta-feira pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) coloca a ingestão média suíça em 11,5 litros de álcool puro por residente por ano.

Esta quantidade, pouco acima da média da OCDE, corresponde a 2,5 garrafas de vinho ou 4,4 litros de cerveja por semana para pessoas a partir dos 15 anos de idade.

Cerca de 4,3% dos adultos suíços são "dependentes" do álcool, e informa o relatório. O país também tem uma das menores porcentagens de "abstêmios", em torno de 20%.

Medidas prejudiciais

De acordo com a OCDE, em todos os países (principalmente os desenvolvidos e europeus) abrangidos pelo estudo, um em cada três adultos se envolveu no consumo excessivo de álcool pelo menos uma vez no mês anterior, enquanto um em cada cinco jovens se embriagou aos 15 anos de idade.

A República Tcheca apresenta a maior taxa de consumo alcoólico de todos os países pesquisados, seguida pela Lituânia, Luxemburgo, Alemanha e Irlanda. No geral, os homens bebem mais do que as mulheres - o dobro, em geral.

O relatório diz que o álcool consumido em um nível perigoso pode reduzir a expectativa de vida, aumentar os custos de saúde, diminuir a produtividade e, por fim, diminuir o PIB de um país.

A organização define o consumo "nocivo" como mais de um copo de álcool por dia para as mulheres e mais de 1,5 copos (um pouco menos de um litro de cerveja de menor potência, por exemplo) para os homens.

Festa pandêmica

Embora o efeito a longo prazo da pandemia sobre o consumo de álcool ainda seja difícil de medir, os efeitos a curto prazo variam muito de país para país, escreve a OCDE, com alguns aumentando seu consumo e outros diminuindo-o.

Eles apontam a Suíça como um exemplo onde, pelo menos na primeira onda, foi observada uma diminuição acentuada no consumo de álcool, embora não tenham ido mais longe ao explicar exatamente por que isso aconteceu.

A Suíça também foi apontada como o país com a menor taxa de IVA (imposto sobre o consumo) aplicada ao álcool, de 7,7%.

O relatório está disponível no websiteLink externo da OCDE.

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?