Navigation

Suíço transforma caos urbano de São Paulo em arte

"O Regressso da Mata Atlântica", de Armin Gyger zVg

Armin Gyger é um suíço que vive no Brasil por amor. Não tem laços familiares que o prendam ali, mas sua paixão pelo País já dura muito tempo.

Este conteúdo foi publicado em 01. junho 2010 - 12:39

A primeira vez que pisou em solo brasileiro foi em 1959, aos 19 anos, depois de uma longa viagem de navio, e durante muitos anos esteve entre o Brasil e a Suíça.

Finalmente, há 3 anos definiu sua residência em São Paulo, no bairro de Moema. Gyger é confeiteiro, artista plástico escritor. Ele transforma sua impressão da cidade de São Paulo, que percorre de bicicleta, em quadros e painéis, que por vezes tomam forma de cartões postais da megalópole vendidos em bancas de jornal.

swissinfo.ch: Toda essa vivência se reflete nos quadros que pinta? Como é seu trabalho como artista plástico?

Armin Gyger: A arquitetura, o trânsito, monumentos, tudo aparece nos meu quadros. A técnica é mista, inclui colagem e pintura. Num primeiro plano aparecem sempre os elementos mais conhecidos como o Masp, o Copan, o prédio do Banespa, etc... E em segundo plano, aquele emaranhado de prédios e outros elementos, dependendo do quadro.

swissinfo.ch: Como os quadros viraram cartões postais?

AG: Minha ideia inicial era usar os postais para divulgar meus livros, mas um amigo viu e sugeriu que eu divulgasse os quadros dessa maneira. Assim, os postais passaram a ser vendidos em bancas, quadros foram feitos a partir deles e enviados para galerias e alguns foram encomendados. Sempre tento mostrar o infinito de São Paulo, é um pouco surrealista.

swissinfo: Que tipo de livros escreve?

AG: Eu escrevo romances e comédias com fundo filosófico e os ilustro. Estudo a filosofia de Rudolf Steiner (filósofo suíço que se dedicou ao estudo nos campos da organização social, agricultura, arquitetura, medicina, e pedagogia). Em português publiquei Nada como amanhã do dia seguinte!, pela editora Petra, e em alemão Opera buffa, Das Überleben e Verdichtungen - tutto nel mondo è burla.

swissinfo.ch: Como sobrevive há tantos anos um suíço de Thusis em uma cidade tão caótica como São Paulo?

AG: Eu ando de bicicleta, tenho meus caminhos, fujo das grandes avenidas. Sempre escuto discussões sobre as dificuldades de construir ciclovias em São Paulo. Na verdade as vias já existem. É só demarcar. Não acho que essa seja uma ideia assim tão difícil de implementar.

swissinfo.ch: O que mais o impressiona em São Paulo?

AG: São Paulo é um concentrado do mundo. É uma metrópole. Além disso eu adoro os brasileiros. A Suíça é muito organizada demais. Eu sempre digo aos meus amigos: conheça São Paulo para conhecer o mundo.

Heloísa Broggiato, swissinfo.ch, São Paulo

Livros de Armin Gyger

Publicados em português e alemão:
Nada como a manhã do dia seguinte, Editora Petra, Tatuí, Brasil, 2008

Es ist längst nicht aller Nächte Morgen!, Books on Demand GmbH, Norderstedt, Alemanha 2004

Opera Buffa, Books on Demand GmbH, Norderstedt, Alemanha,2005
Das Überleben Books on Demand GmbH, Norderstedt, Alemanha, 2004

Encomendas de obras pelo armindobr@yahoo.com.br

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?