Navigation

Pirataria custou 4,5 bi a Suíça em um só ano

Produtos suíços são rigorosamente inspecionados para garantir que atendam aos padrões de qualidade. © Keystone / Gaetan Bally

O comércio mundial de produtos falsificados "Made in Switzerland" custou 10 mil empregos e 4,5 bilhões de francos à economia helvética (US$ 4,9 bilhões) em 2018. São as conclusões de um estudo da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OECD).

Este conteúdo foi publicado em 23. março 2021 - 17:15
swissinfo.ch/mga

"Em 2018, clientes em todo o mundo pagaram mais de dois bilhões de francos por produtos "suíços" falsificados, declarouLink externo o Instituto Federal Suíço de Propriedade Intelectual (IPI), que encomendou o estudo à OCDE.

Se tivessem sido fabricados na Suíça, as mercadorsias teriam sido vendidas por um valor mais elevado. Metade das pessoas que consumiram pirataria foram enganadas, considera a OCDE.

As empresas do setor de relojoaria e joalheria foram as mais prejudicadas, tendo perdas de dois bilhões em 2018. Outra consequencia: quatro em cada 10 empregos teriam sido criados sem a pirataria. Outros setores afetados foram a indústria de máquinas, engenharia elétrica, vestuário e calçados.

A  maioria das falsificações teve origem na China e Hong Kong, seguida por Cingapura e Turquia. A Índia também é um mercado onde mais se negocia com produtos medicinais falsificados.

A Suíça participa de campanha global contra falsificações através de diversas açõesLink externo.

De acordo com o IPI, o estudo "fornece uma base sólida para a tomada de decisões - juntamente com a política - para interromper a prática de uma forma mais direcionada. Nesse sentido, o órgão defenderá ainda mais intensamente a aplicação dos direitos de propriedade intelectual nos acordos de livre comércio."

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.