Navigation

Pirataria custou 4,5 bi a Suíça em um só ano

Produtos suíços são rigorosamente inspecionados para garantir que atendam aos padrões de qualidade. © Keystone / Gaetan Bally

O comércio mundial de produtos falsificados "Made in Switzerland" custou 10 mil empregos e 4,5 bilhões de francos à economia helvética (US$ 4,9 bilhões) em 2018. São as conclusões de um estudo da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OECD).

Este conteúdo foi publicado em 23. março 2021 - 17:15
swissinfo.ch/mga

"Em 2018, clientes em todo o mundo pagaram mais de dois bilhões de francos por produtos "suíços" falsificados, declarouLink externo o Instituto Federal Suíço de Propriedade Intelectual (IPI), que encomendou o estudo à OCDE.

Se tivessem sido fabricados na Suíça, as mercadorsias teriam sido vendidas por um valor mais elevado. Metade das pessoas que consumiram pirataria foram enganadas, considera a OCDE.

As empresas do setor de relojoaria e joalheria foram as mais prejudicadas, tendo perdas de dois bilhões em 2018. Outra consequencia: quatro em cada 10 empregos teriam sido criados sem a pirataria. Outros setores afetados foram a indústria de máquinas, engenharia elétrica, vestuário e calçados.

A  maioria das falsificações teve origem na China e Hong Kong, seguida por Cingapura e Turquia. A Índia também é um mercado onde mais se negocia com produtos medicinais falsificados.

A Suíça participa de campanha global contra falsificações através de diversas açõesLink externo.

De acordo com o IPI, o estudo "fornece uma base sólida para a tomada de decisões - juntamente com a política - para interromper a prática de uma forma mais direcionada. Nesse sentido, o órgão defenderá ainda mais intensamente a aplicação dos direitos de propriedade intelectual nos acordos de livre comércio."

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?