Navigation

Skiplink navigation

Suíços cautelosamente otimistas com resultados da vacina Pfizer Covid-19

As ações da Pfizer e da BioNTech dispararam após os resultados dos ensaios clínicos da vacina terem sido divulgados. New York Stock Exchange

As autoridades sanitárias federais vêem dados promissores na vacina desenvolvida pela Pfizer e pela BioNTech como um sinal positivo de que uma vacina poderia estar pronta até o final do ano. No entanto, elas dizem que é muito cedo para estabelecer um calendário de quando uma vacina estaria disponível para a população suíça.

Este conteúdo foi publicado em 11. novembro 2020 - 07:30
swissinfo.ch/fh

Na segunda-feira, a empresa americana Pfizer e a alemã BioNTech anunciaram que o primeiro grande teste de sua vacina contra a Covid-19 tinha mostrado que ela era 90% eficaz. Thomas Cueni, que dirige a Federação Internacional de Fabricantes e Associações Farmacêuticas com sede em Genebra, disse à televisão pública suíça, RTS, que o resultado "excede as melhores esperanças" e que foi "a melhor notícia do ano".

A Suíça não assinou um acordo para garantir doses da vacina Pfizer Covid-19. Atualmente, ela tem acordos com Moderna e AstraZeneca para suas potenciais vacinas, que também estão em fase de testes avançados, e está "em negociações com fabricantes de vacinas adicionais e promissoras", de acordo com o Ministério da Saúde.

"Acolhemos com satisfação todos os avanços feitos pelos esforços mundiais para chegar a uma vacina contra a Covid-19. O governo federal está trabalhando intensamente o mais rápido possível para dar à população suíça acesso a uma vacina segura e eficaz", disse o ministério na segunda-feira, de acordo com a Reuters.

Especialistas em saúde na Suíça dizem que a notícia lhes dá motivos para estarem otimistas sobre outras vacinas, particularmente a de Moderna que é baseada no mesmo RNA (mRNA) mensageiro, uma nova tecnologia que nunca foi a base para um medicamento aprovado.

"É realmente um sinal muito bom que esta vacina contra o mRNA esteja agora mostrando este efeito", disse Manuel Battegay, chefe de doenças infecciosas do Hospital Universitário da Basileia, à televisão pública suíça, SRF, na segunda-feira.

"Ela ainda não foi confirmada pelos resultados finais". No entanto, pode-se supor que vacinas semelhantes contra o mRNA também mostrarão bons resultados". Ele acrescentou que, se os resultados fossem confirmados, a Suíça poderia esperar uma vacina em 2021.

Espera-se que a tecnologia mRNA seja mais fácil de fabricar em escala. A Pfizer disse que será capaz de produzir 50 milhões de doses este ano e mais 1,3 bilhões de doses em 2021. Entretanto, isto ainda estará longe de ser suficiente para abastecer a metade da população mundial. 

Em uma coletiva de imprensa na terça-feira, Stefan Kuster do Ministério da Saúde disse que era "cedo demais" para falar sobre um cronograma. Ele observou que os resultados da Pfizer foram em grande parte baseados em participantes jovens e relativamente saudáveis. Os dados completos do teste não foram publicados, e é por isso que é importante que a Suíça permaneça aberta a diferentes candidatos a vacinas, disse o Mnistério da Saúde.

Outras atualizações de vacinas

Na terça-feira uma empresa suíça de biotecnologia chamada Swiss Rockets fundou uma subsidiária chamada RocketVax para desenvolver uma vacina contra a Covid-19. A empresa está fazendo parceria com a Gigabases, uma spin-off biotecnológica do Instituto Federal de Tecnologia ETH Zurich, que desenvolveu uma tecnologia de síntese de DNA. A Swiss Rockets foi fundada em 2018 para desenvolver medicamentos com foco em câncer e doenças virais.

"É improvável que estas vacinas [de primeira geração] induzam uma proteção forte e duradoura contra o SARS-CoV-2". Acreditamos que é importante desenvolver vacinas que cubram tantas proteínas SRA-CoV-2 quanto possível, mas sem qualquer potencial patogênico", disse Vladimir Cmiljanovic, presidente e CEO da Swiss Rockets, em uma declaração.

Em outro desenvolvimento de vacinas, a empresa suíça Lonza foi selecionada pela empresa americana de biotecnologia Altimmune como parceira de produção para sua potencial vacina contra a Covid-19, que se encontra atualmente em fase pré-clínica. A empresa suíça, que já foi explorada para produzir a vacina potencial da Moderna, disse que os resultados clínicos iniciais da vacina intranasal de dose única da Altimmune, Adcovid, poderiam estar disponíveis no primeiro trimestre do próximo ano.

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

Partilhar este artigo