Navigation

Indústria de tecnologia médica suíça já sofre pelo fracasso de acordo com a UE

Funcionário da empresa suíça Gomina usa um laser para soldar lâminas ósseas. A Gomina é uma fabricante de lâminas de serra óssea cirúrgica e peças micromecânicas de precisão para tecnologia médica. © Keystone / Gaetan Bally

As empresas suíças de tecnologia médica tiveram que parar algumas exportações para a União Européia. Elas estão entre as primeiras vítimas da decisão do governo suíço, no mês passado, de encerrar as conversações com a UE sobre um acordo-quadro.

Este conteúdo foi publicado em 06. junho 2021 - 17:42
Keystone-SDA/NZZamS/ts

O choque veio em 3 de junho. "Nosso parceiro e agente, que é responsável pelos aspectos legais de nossos produtos na UE, me informou que não seria mais permitido importar uma grande parte da nossa linha de produtos", disse Rudolf Eggen, chefe da MPS Precimed em Biel, ao jornal NZZ am SonntagLink externo.

Os produtos em questão são brocas ósseas de alta precisão e fresadoras utilizadas na implantação de articulações artificiais.

Uma semana antes, o governo suíço, citando "diferenças substanciais", encerrou unilateralmente sete anos de esforços entre a Suíça e a UE para elaborar um tratado abrangente para substituir os mais de 120 acordos bilaterais que regulamentaram as relações durante as últimas décadas.

Da noite pro dia, Eggen, que emprega 45 funcionários, perdeu cerca de um terço de seus negócios, no valor de vários milhões de francos.

O problema é que Bruxelas retirou a validade de todos os certificados existentes emitidos pelo organismo suíço de certificação SQS com efeito imediato. Assim, os produtos médicos certificados pelo SQS sob a antiga lei não podem mais ser vendidos no mercado da UE - mesmo que tenham sido utilizados durante anos. De acordo com o NZZ am Sonntag, cerca de 65 empresas foram afetadas.

"A subsistência dessas empresas está ameaçada", disse Daniel Delfosse da associação industrial Swiss MedtechLink externo.

Antes da pandemia de Covid-19, os fabricantes de tecnologia médica eram responsáveis por 5% das exportações totais da Suíça em 2019, com exportações no valor de CHF 12 bilhões (US$ 13,3 bilhões). Destas, 46% foram para a UE.

A Secretaria de Estado para Assuntos Econômicos diz que "negociações intensivas em vários níveis" estão em andamento com Bruxelas para encontrar uma solução.


Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.