Perspectivas suíças em 10 idiomas

Um quarto dos suíços querem fechar fronteira com a Itália

Two men carry a coffin
Uma equipe médica carrega o caixão de uma idosa italiana de um hotel em Laigueglia, noroeste da Itália. Ela havia testado positivo para Covid-19. O hotel foi colocado em quarentena Keystone

Embora um em cada quatro suíços entrevistados ache que a fronteira com a Itália deva ser fechada por causa da epidemia de coronavírus, a maioria dos entrevistados apoia a gestão e as medidas do governo suíço.

Por exemplo, 76% dos entrevistados pelo jornal SonntagsBlickLink externo consideraram apropriada a proibição de eventos com mais de 1000 pessoas. Além disso, 86% consideraram que o Ministério da Saúde fornece informações suficientes sobre o vírus.

A pesquisa de opinião, realizada de 3 a 6 de março com 1074 pessoas em todo o país, também descobriu que dois terços se sentiam com pouca ou nenhuma ameaça com relação ao vírus, 24% classificaram o risco de Covid-19 como médio, 8% como alto. Os valores quase não mudaram em comparação com a semana anterior.

Um quarto das pessoas era a favor de fechar as fronteiras com a Itália, que é um dos países mais afetados pelo vírus, junto com China, Coreia do Sul e Irã.

No domingo (8), a Itália declarou quarentena para uma faixa da região Norte do país, em uma tentativa drástica de conter um surto de Covid-19 em rápido crescimento (ver caixa).

Até agora, o governo suíço e os ministros da saúde europeus se manifestaram contra o fechamento das fronteiras por causa das consequências de longo alcance.

Medidas de prevenção

Segundo a pesquisa de opinião do SonntagsBlick, a população suíça segue amplamente as medidas de prevenção recomendadas pelo governo. A lavagem frequente das mãos fazia parte dessas medidas para 93% dos pesquisados, 76% evitavam apertar as mãos e mais da metade evitava viajar para o exterior.

Por outro lado, os entrevistados não pensaram muito em máscaras faciais: nem um em cada dez considerou usar uma.

Atualmente, na Suíça existem 281 casos diagnosticados de Covid-19, informou o ministério no domingo. Duas pessoas morreram.


Itália

As restrições sem precedentes decretadas pela Itália, que afetarão cerca de 16 milhões de pessoas e permanecerão em vigor até 3 de abril, foram firmadas durante a noite pelo primeiro-ministro Giuseppe Conte.

As novas medidas dizem que as pessoas não devem entrar ou sair da Lombardia, a região mais rica da Itália, além de 14 províncias em quatro outras regiões, incluindo as cidades de Veneza, Modena, Parma, Piacenza, Reggio Emilia e Rimini.

Conte disse que ninguém poderá entrar ou sair dessas áreas, ou dentro delas, a menos que tenham provado razões relacionadas ao trabalho ou problemas de saúde.

As mortes pelo vírus na Itália também aumentaram, de 36 para 233, enquanto o número de pacientes em terapia intensiva subiu para 567, um aumento de 23% em relação ao dia anterior. Dos 5883 italianos originalmente infectados, 589 se recuperaram totalmente, mas o sistema hospitalar está sob crescente tensão.

As regiões do norte da Lombardia, Emilia-Romagna e Veneto representam 85% de todos os casos e 92% das mortes registradas.


Mostrar mais
Teste rápido de Covid-19

Mostrar mais

Boletim: Coronavírus na Suíça

Este conteúdo foi publicado em Acompanhe também a evolução da pandemia no mundo através de uma série de gráficos atualizados semanalmente.

ler mais Boletim: Coronavírus na Suíça

swissinfo.ch/fh

Preferidos do leitor

Os mais discutidos

Notícias

aeroporto

Mostrar mais

Aeroporto de Genebra cobrará taxa de atraso em 2025

Este conteúdo foi publicado em O Aeroporto de Genebra pretende lançar um sistema de cotas de poluição sonora no próximo ano. Os voos que partirem após as 22h terão que pagar uma taxa.

ler mais Aeroporto de Genebra cobrará taxa de atraso em 2025
imagem

Mostrar mais

Suíços não se preocupam em perder empregos para a IA

Este conteúdo foi publicado em A inteligência artificial (IA) está influenciando a vida profissional cotidiana. Na Suíça, muitas pessoas já têm experiência com IA, inclusive em seus empregos.

ler mais Suíços não se preocupam em perder empregos para a IA

Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

SWI swissinfo.ch - sucursal da sociedade suíça de radiodifusão SRG SSR

SWI swissinfo.ch - sucursal da sociedade suíça de radiodifusão SRG SSR