Os estudantes que nunca ficam desempregados

No passado a escolha da profissão na Suíça ocorria logo após a conclusao do ensino obrigatório. O sistema dual de ensino trouxe mais flexibilidade e também possibilidades aos jovens.

Um aprendiz de mecânico durante uma aula na escola profissional. Keystone / Martin Ruetschi

A dicotomia "estudar ou trabalhar" no final do ensino obrigatório não existe mais: quem preferiu trabalhar logo após a escola, pode mudar depois o caminho. 

Terminar o segundo grau ou já aprender uma profissão?

Cada vez mais jovens concluem o ensino obrigatório, mas continuam a estudar na escola até obter o diploma do ensino médio. Depois estudam e começam a trabalhar em suas profissões. Uma grande parte o faz por conveniência ou prestígio. Porém muitos outros jovens preferem terminar mais cedo a escola e fazer uma formação profissional.

Até algumas décadas atrás essas duas vias não se cruzaram. O jovem que quisesse tentar outra profissão, ou estudar em uma universidade, precisava começar do zero. Porém o sistema de ensino na Suíça mudou.

Formação profissional através do sistema dual: uma solução "suíça"

Um aprendiz entra no mundo do trabalho logo ao concluir a escola obrigatória. Mas não se trata de uma entrada abrupta: o sistema dual de ensino prevê que os jovens estudem em uma escola profissionalizante e, ao mesmo tempo, trabalhem na empresa, colocando a teoria na prática. O sistema garante a formação de mão-de-obra de alta qualidade, um fator de sucesso para a economia helvética.

Dependendo da profissão, uma aprendizagem dura entre dois e quatro anos. Os níveis de desemprego de jovens na Suíça são um dos mais baixos do mundo.

Sistema permeável

Alguns jovens amadurecem mais tarde. Outros só descobrem a profissão desejada numa fase posterior. A singularidade do sistema suíço permite mudanças.

Os estudantes que escolhem o caminho da formação profissional podem alcançar níveis mais elevados se continuarem a frequentar os bancos escolares. Os percursos profissionais são variados e acessíveis a todos os que estejam em formação. O diploma de segundo grau de nível profissional permite o acesso à universidade e até às renomadas escolas politécnicas federais como a ETH em Zurique ou EPFL, em Lausanne.

Porém o jovem que conclui uma formação profissional não tem necessariamente de estudar: ele pode se concentrar na profissão escolhida e se aperfeiçoar através de cursos federais ou faculdades técnicas superiores. O trabalhador se qualifica e melhora, dessa forma, as perspectivas de carreira. E por último, mas não menos importante, o salário.

Esta flexibilidade é muito importante: os profissionais têm acesso a formação contínua em todos os momentos de sua vida profissional. E se quiser, também pode fazer um curso universitário. Nada está excluído

Um exemplo 

Ao terminar o ensino secundário, um jovem quer ser eletricista. Ele procura um empregador que lhe ofereça um estágio. Ao encontrar, começa a trabalhar e estudar. A formação dura três anos. Sua semana consiste em um dia de aprendizado na escola profissional e quatro dias de trabalho na empresa, onde aplica a teoria na prática. Mesmo como estagiário, o jovem já recebe um salário.

No final dos três anos, o eletricista recém-formado recebe um certificado federal após passar nos exames finais. Segundo Rita Beltrami, secretária de Educação e Formação do cantão do Ticino, a formação profissional é o nível mínimo de educação que o governo federal gostaria de ver para todos os cidadãos.

Após completar o aprendizado, o jovem pode procurar um emprego como eletricista ou continuar a trabalhar na mesma empresa, se o empregador estiver satisfeito com o seu trabalho. Se quiser estudar na universidade, não há problema: ele pode fazer um bacharelado profissional, que lhe dá acesso às universidades, onde poderia estudar engenharia elétrica, por exemplo.

Mas também poderia obter um diploma federal de eletricista ou ir uma faculdade técnica superior. Outra escolha seria fazer cursos de aperfeiçoamento profissional oferecidos pelas associações profissionais.

Em suma, escolher um estágio ou uma profissão é um processo em várias fases. O objetivo é encontrar uma profissão que corresponda aos desejos e ambições.

Formação profissional para jovens que vivem nos países vizinhos

O sistema dual de ensino na Suíça também recebe muitos jovens italianos que vivem nas regiões fronteiriças. Segundo Beltrami, muitos deles fazem sua aprendizagem no cantão do Ticino.

Os serviços cantonais de formação profissional, reunidos no portal berufsberatung.ch, fornece informações detalhadas sobre o sistema dual de ensino e as possibilidades de aprendizado na Suíça.

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo