Foliões ignoram proibição do carnaval da Basileia

Embora o governo suíço tenha proibido grandes eventos por causa do coronavírus, várias centenas de pessoas se reuniram na segunda-feira de manhã em Basileia para marcar - e lamentar - o carnaval cancelado.

Este conteúdo foi publicado em 02. março 2020 - 08:46
Um grupo fantasiado de células de vírus zombam da proibição do carnaval da Basileia na segunda-feira, 2 de março Keystone / Georgios Kefalas

No entanto, apenas alguns foliões saíram fantasiados. Várias pessoas, muitas trazendo velas, se reuniram na praça do mercado. Quando o sino da prefeitura tocou às 4 da manhã, elas aplaudiram. A polícia marcou sua presença, mas não interveio - mesmo quando uma banda de quatro elementos passou pela delegacia.

Na sexta-feira, o Conselho Federal (governo) havia proibido todos os eventos com mais de 1000 pessoas até 15 de março, incluindo o carnaval da Basileia.

No entanto, vários grupos se reuniram para beber em vez de marcharem com suas flautas no domingo à noite. Alguns trouxeram as lanternas que eles teriam apresentado na segunda-feira de manhã.

Para evitar tais reuniões na cidade vizinha de Liestal em Sissach, as autoridades do Cantão da Basileia proibiram restaurantes e bares de servir bebidas entre às 19h do domingo e às 6h da segunda-feira.

Em anos normais, o carnaval da Basileia atrai cerca de 12.000 participantes ativos, assim como dezenas de milhares de espectadores.


Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo