Profissões técnicas: o que está em alta e o que sumiu


Este conteúdo foi publicado em 21. dezembro 2019 - 09:00
Ainda se pode fazer um aprendizado em sapataria, mas não mais em reparo de calçados. Keystone/Ennio Leanza

Algumas profissões estão morrendo na Suíça - você não pode mais fazer uma aprendizagem na reparação de sapatos, por exemplo. Mas outras vêm em seu lugar: alguém interessado em ser assistente de drenagem (desaguamento)?

Cerca de dois terços dos jovens que terminam a escola na Suíça optam por uma aprendizagem, sob o duplo sistema de formação profissional do país. Isso combina a aprendizagem no trabalho - e o pagamento de um salário de aprendizagem - com um ou dois dias de teoria na escola.

+ 14 anos é cedo demais para escolher uma carreira?

+ A formação profissional suíça serve de modelo para outros

Existem atualmente cerca de 230 profissões à escolha e, como sempre, os aprendizes comerciais, essencialmente de escritório, são os mais populares entre ambos os sexos.

+ Descubra que profissões os formandos do ensino médio suíço escolheram este ano

Mas tem havido grandes mudanças em termos do que está em oferta nos últimos 15 anos, como demonstrou a última avaliação de aprendizagens em alta e em extinção da Secretaria de Estado da Educação, Pesquisa e Inovação (SERI). Aqui vai uma seleção:

Conteúdo externo


Jurg Schweri, professor do Instituto Federal Suíço de Educação e Formação Profissional SFIVET, disse que as tendências econômicas e sociais refletem na escolha dos treinamentos oferecidos.

"Vários novos aprendizados refletem inovações tecnológicas, como por exemplo, acústico de aparelhos auditivos e tecnólogo de processamento estéril", disse ele à swissinfo.ch via e-mail.

"A emergência do assistente químico e farmacêutico está possivelmente ligada às exigências regulatórias da indústria farmacêutica", acrescentou Schweri, observando que "outras profissões refletem nossa sociedade envelhecida, [como] assistente de atividade física e de promoção da saúde, mas também acústico de aparelhos auditivos".

Demandas do mercado de trabalho

"O ensino e formação profissional (EFP) está intimamente ligado às necessidades do mercado de trabalho", disse a SERI à swissinfo.ch em comentários por escrito, acrescentando que as organizações profissionais se candidatam e iniciam programas de formação profissional para garantir a atratividade de suas profissões. As novas descrições de emprego parecem mais orientadas para a tecnologia porque "é isso que o mercado de trabalho moderno exige".

Tanto a SERI como Schweri esperam mais mudanças nos tipos de aprendizagem oferecidos, devido à mudança tecnológica e à transformação digital. Por este motivo, as descrições oficiais dos aprendizes são atualizadas a cada cinco anos, disse a SERI.

Aprendizagem: qualificações

A maioria dos estágios na Suíça duram de três a quatro anos e resultam num diploma federal de EFP. Aprendizados menos exigentes e mais práticos podem durar dois anos, resultando em um certificado de EFP federal. O EFP também pode ser completado numa escola profissional a tempo integral (há mais destes nas partes da Suíça de língua italiana e francesa).

Um Bacharelado Profissional Federal, que abre as portas para as Universidades de Ciências Aplicadas mais orientadas para a prática, pode ser feito ao lado do diploma do EFP Federal ou posteriormente. Para entrar numa universidade normal, é necessário fazer um teste de aptidão universitária.

O sistema VET é governado coletivamente pela Confederação, pelos cantões e pelas organizações profissionais.

End of insertion

No entanto, embora os novos aprendizes sejam um sinal visível e fascinante de mudança, a maior parte da transformação ocorre dentro de profissões já existentes, apontou Schweri.

Novos perfis profissionais

As novas exigências dos clientes podem ser vistas no aprendizado de comunicação de hotelaria, um papel que foi criado para combinar habilidades de escritório e hospitalidade. Um especialista em sistemas de gastronomia trabalha em fast foods como um todo envolvido na preparação, no serviço, e também na compra de alimentos e no controle de qualidade.

E o assistente de desaguamento trabalha na manutenção de esgotos e canalizações, o que costumava ser aprendido no trabalho. Mas com o aumento das exigências ambientais, de segurança e de TI, a profissão mudou: agora é preciso usar uma câmera de controle remoto para verificar os tubos, por exemplo. O nome do aprendiz também foi alterado por razões de imagem.

Os aprendizes não eram mais procurados por reparos de calçados e impressão de metais. A digitalização foi a pá de cal para o trabalho de laboratório fotográfico. Em alguns casos, a mudança pode prejudicar, disse Schweri, como foi sentido pela indústria gráfica, que foi completamente transformada por novas tecnologias.

Aprendizagem comercial

E o que se passa com os sempre populares aprendizados comerciais?

"A grande questão é se a digitalização vai reduzir drasticamente a demanda por funcionários comerciais, ou se os funcionários vão simplesmente passar para novas tarefas, que fazem parte de novos processos de negócios", disse Schweri.

Até agora, não tem havido uma tendência clara de diminuição do número de trabalhadores comerciais empregados, como mostram as estatísticas, mas há uma tendência para empregos mais exigentes, acrescentou ele.

"Muito mais pessoas pegam hoje em dia um diploma universitário (geral e profissional), que é válido tanto para empregos comerciais como para a maioria dos outros domínios e áreas ocupacionais".


Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo