Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Refugiados Pedidos de asilo na Suíça caem um terço

O número de pedidos de asilo na Suíça diminuiu 31,2% em 2016, em grande parte devido ao fechamento parcial da rota balcânica utilizada pelos requerentes de asilo que tentam chegar à Alemanha.

Em dezembro de 2016 houve 197 pedidos de asilo a menos

Em dezembro de 2016 houve 197 pedidos de asilo a menos

(Keystone)

No ano passado, houve 27.207 pedidos de asilo, de acordo com dados oficiais divulgados na segunda-feira pela Secretaria Federal de Migração (SFM). O órgão disse que espera que os números variem em 2017 entre 24.500 e 32.000, dependendo do fluxo de refugiados através do Mediterrâneo e se o acordo entre a Europa e a Turquia para conter os migrantes for mantido.

Em dezembro de 2016 houve 197 pedidos a menos, e 64% menos quando comparado com o mesmo período em 2015.

Os eritreus formam a nacionalidade que mais procura asilo, mas mesmo estes números caíram 7.5%. Em 2016, a chegada de eritreus pela Itália caiu pela metade. Afeganistão, Síria, Somália, Sri Lanka e Iraque são outros países de origem dos requerentes de asilo.

Os pedidos de asilo de afegãos, sírios e iraquianos estavam estreitamente ligados à rota dos Balcãs. Mais de 90% das pessoas que entravam na Europa através da rota dos Balcãs eram provenientes destes países.

Refugiados e imigrantes ilegais usam a rota depois que chegam na Grécia, geralmente vindos da Turquia, para prosseguir através da Bulgária, ex-Iugoslávia ou Albânia, e depois para a Hungria, Áustria e Alemanha. O último fluxo grande para alcançar a Suíça através da rota dos Bálcãs foi no último trimestre de 2015.

A Suíça concedeu asilo a 5.985 pessoas em 2016, cerca de 3% menos do que no ano anterior.

O auge de pedidos de asilo nos últimos 10 anos foi em 2015, como mostra o gráfico.

Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

swissinfo.ch/fh

×