Perspectivas suíças em 10 idiomas

Quais são as vantagens e desvantagens da livre circulação de pessoas entre a Suíça e os países da União Européia?

Moderador: Marie Vuilleumier

Em 27 de setembro de 2020, os eleitores suíços votam em cinco diferentes propostas levadas à plebiscito. Uma delas foi oi lançada em resposta à recusa do Parlamento em implementar as cotas de imigração aprovadas pelos eleitores em 2014.

Se a maioria dos votos for “sim”, a Suíça deverá suspender o acordo bilateral com a UE que determina a livre circulação de pessoas. O país assume, assim, o controle total da política de imigração do país.

Do artigo Os 5 temas dos plebiscitos federais de 27 de setembro de 2020


Os mais lidos
Suíços do estrangeiro

Participe da discussão

As contribuições devem respeitar as nossas regras. Se você tiver dúvidas ou quiser sugerir outros temas para debates, nos escreva!
Cloud
Cloud
O seguinte comentário foi automaticamente traduzido de FR.

As pessoas têm razão em ter medo de perder os seus empregos. Mas ainda estão a pensar no futuro? A nossa cultura está lentamente a perder-se para os estrangeiros. Cada vez menos as nossas línguas são faladas com os nossos sotaques locais. Vamos pensar no que estamos a perder, construindo em todo o lado o melhor que podemos. Os lugares tranqüilos estão desaparecendo, a atitude dos habitantes da cidade também está mudando. O medo do emprego está fazendo a Suíça perder aquele lado charmoso e tranquilo que costumava ter ...., não conseguirá recuperá-lo. Esta medida de limitação é também uma forma de protecção semelhante a todos os nossos vizinhos, que a conhecem por sector de trabalho: médico, engenharia ou outro, mas não conseguimos encontrar facilmente estes empregos no seu país.

La population a à juste titre peur de perdre son emploi. Mais pense t'on encore à l'avenir? Notre culture est gentiment entrain de partir au profit des ressortissants étranger. De moins en moins nos langues sont parlées avec nos accents locaux. Pensons nous à ce que nous sommes entrain de perdre, en construisant partout à qui mieux-mieux. Les endroits calmes disparaissent, l'attitude des citadins change aussi. La crainte de l'emploi est entrain de faire perdre à la suisse ce petit coté charmant et tranquille qu'elle avait .... elle ne pourra plus le récupérer. Mais nous aurons peut-être encore nos emplois.Cette mesure de limitation est une forme aussi de protection semblable à tous nos voisins, qui eux la connaisse par secteur de travail: Médical, ingénierie ou autre que nenni, nous ne pouvons aisément trouver ces postes chez eux.

François Delafontaine
François Delafontaine
O seguinte comentário foi automaticamente traduzido de FR.

Já tínhamos esta pergunta há seis anos, o povo já a tinha respondido, e depois elegeu a coligação PLR-UDC especificamente para a aplicar. Essa coligação fez tão bem o seu trabalho que agora nos fazem novamente a mesma pergunta. Entretanto, tivemos Trump, e Brexit, e nenhuma iniciativa sobre formação ou emprego, apenas dois mil milhões pagos a empresas, mas feliz por saber que a SVP está preocupada com os engarrafamentos de trânsito na A9. Os benefícios? A nossa economia não está morta. O lado negativo? Todos os problemas que os nossos vizinhos gostariam de ter. Se a SVP fosse séria, em vez de explorar a questão para ganho político, não teriam votado na traição de que se queixam, teriam ido a tribunal, e teríamos cometido suicídio democrático há dois ou três anos, como deveria ser.

Nous avons déjà eu cette question voilà six ans, le peuple y avait déjà répondu, puis avait élu la coalition PLR-UDC spécifiquement pour l'appliquer. Cette coalition a si bien fait son travail qu'on nous repose aujourd'hui la même question. Entretemps on a eu Trump, et le Brexit, et aucune initiative sur la formation ou l'emploi, seulement deux milliards payés aux entreprises, mais heureux de savoir que l'UDC se préoccupe des bouchons sur l'A9. Les avantages ? Notre économie n'est pas morte. Les inconvénients ? Tous les problèmes que nos voisins aimeraient avoir. Si l'UDC était sérieuse, au lieu d'exploiter le thème pour son bénéfice politique, elle n'aurait pas voté pour la trahison contre laquelle elle râle, elle aurait fait recours en justice et nous nous serions suicidés démocratiquement voilà deux-trois ans, comme il convient.

Kader Mokadem
Kader Mokadem
O seguinte comentário foi automaticamente traduzido de FR.

Quanto ao impacto dos acordos bilaterais, nenhum estudo sério foi proposto à população para ajudá-la a tomar a sua decisão de forma democrática e serena. Pelo contrário, os partidos políticos da esquerda internacionalista aos partidos burgueses, com excepção da corajosa SVP, na qual repousa a esperança da Suíça, de todo um povo soberano, de continuar a preservá-la do mau destino da Europa e da globalização, produzem artigos desprovidos de qualquer fundamento sério mas com uma forte conotação de culpa para lhe impor as escolhas que o povo não quer. Devemos rejeitar os acordos bilaterais que beneficiam essencialmente a UE e que fazem da Suíça uma vítima das hordas selvagens dos subúrbios franceses e dos bandos criminosos da UE. A UE precisa da Suíça apenas para aliviar o sofrimento que ela produz dentro de seu próprio espaço econômico, político e social. Não há nenhuma vantagem para a Suíça, que já está amplamente aberta para o resto do mundo, que está grata pelos acordos bilaterais.

Concernant l’impact des effets des accords bilatéraux, il n’y a aucune étude sérieuse qui a été proposée au peuple pour se faire une opinion à même de l’aider à prendre démocratiquement et sereinement sa décision. Bien au contraire, les partis politiques de la gauche internationaliste au partis bourgeois, exception faite de la courageuse UDC, sur laquelle repose l’espoir de la Suisse, de tout un peuple souverain, de continuer à la préserver du mauvais sort européen et mondialiste, produisent des articles dénués de fondement sérieux mais à forte connotation culpabilisante pour lui imposer les choix que le peuple n’en veut pas. Il faut rejeter les accords bilatéraux qui profitent essentiellement à l’UE et qui génèrent pour la Suisse d’être victime des hordes sauvages des banlieues françaises et gangs criminels de l’UE. L’UE a besoin de la Suisse, uniquement dans le but d’alléger les souffrances qu’elle produit au sein même de son espace économique, politique et sociale. Il n’y a aucun avantage pour une Suisse, déjà largement ouverte au reste du Monde qui le lui rend bien contrairement aux accords bilatéraux.

emgar78@gmail.com
emgar78@gmail.com
O seguinte comentário foi automaticamente traduzido de IT.

Eu entendo muito bem o sentimento de muitos suíços sobre imigração, mas eles têm que considerar 3 pontos fundamentais.1 A imigração para a Suíça é selecionada e de alto nível, pessoas que vêm trabalhar e se integram sem problemas.2 A economia suíça está se expandindo e para poder permitir que esses níveis sejam contratados rapidamente. O desemprego é baixo na Suíça e a contratação de pessoas que não estão na Suíça tem pouco impacto sobre o salário médio.3 Se as empresas suíças tiverem dificuldade em recrutar após a mudança do tratado, existe o risco de cruzarem a fronteira e irem diretamente para países da UE, colocando centenas de milhares de empregos suíços em risco.

Capisco benissimo il sentimento di molti svizzeri sull'immigrazione, me devono considerare 3 punti fondamentali.1 l'immigrazione in Svizzera è selezionata e di alto livello, persone che vengono a lavorare e si integrano senza problemi.2 l'economia svizzera è in espansione e per poter permettere questi livelli c'è bisogno di assumere velocemente. La disoccupazione è bassa in Svizzera assumere personale che non si trova in Svizzera non incide molto sulla media salari.3 se le imprese svizzere avranno difficoltà ad assumere in seguito alla modifica dei trattati, c'è il rischio che queste passino il confine e vadano ad assumere direttamente nei paesi EU, mettendo a rischio anche le centinaia di migliaia di posti di lavoro svizzeri.

Anônima / Anônimo
Anônima / Anônimo
O seguinte comentário foi automaticamente traduzido de IT.

Assegurar a entrada apenas de pessoal qualificado ou necessário irá aumentar a competitividade das empresas suíças

Garantire l’ingresso di solo personale qualificato o richiesto aumenterà la competitività delle aziende svizzere

Anônima / Anônimo
Anônima / Anônimo
O seguinte comentário foi automaticamente traduzido de FR.

Quando o povo suíço expressa, soberana e democraticamente, sua rejeição ao colete de forças dos acordos bilaterais, generosamente oferecidos à Suíça pela UE, o Conselho Federal mobiliza as forças políticas retrógradas da esquerda para o PLR, para abortar essa nobre expressão popular. O Conselho Federal é subitamente surdo às necessidades reais do país, particularmente em termos de segurança face à delinquência importada, que se exprime diariamente nas notícias, rapidamente esquecida. As condições de vida dos pensionistas estão a deteriorar-se, mas o Conselho Federal prefere dar milhares de milhões para a construção da UE. A economia suíça precisa de especialistas em muitas áreas de alta tecnologia, saúde e serviços, mas os responsáveis preferem recrutar do exterior em vez de promover instalações de treinamento doméstico que garantam independência e auto-suficiência.....

Lorsque la volonté populaire Suisse exprime, souverainement et démocratiquement, son rejet de la camisole de force des bilatérales, généreusement offerte à la Suisse par l’UE, le Conseil fédéral mobilise les forces politiques rétrogrades de la gauche au PLR, pour faire avorter cette noble expression populaire. Le Conseil Fédéral est atteint soudainement de surdité face aux besoins réels du pays, notamment, en matière de sécurité face à la délinquance importée, qui s’exprime, quotidiennement, dans les faits divers des journaux, vite oubliée. Les conditions de vie des retraités se dégradent, mais le Conseil Fédéral préfère donner les milliards à la construction de l’UE. L’économie de la Suisse a besoin de spécialistes dans de nombreux domaines de hautes technologies et pour la santé, les services, mais les responsables préfèrent recruter à l’extérieur plutôt que de favoriser les moyens de formation à l’intérieur qui garantissent l’indépendance et l’autosuffisance.....

Anônima / Anônimo
Anônima / Anônimo
O seguinte comentário foi automaticamente traduzido de FR.

Vivi em Bruxelas e conheci diplomatas que lutam há décadas por acordos bilaterais que beneficiam muito o nosso belo país. Graças a estes acordos, podemos estar na Europa sem fazer parte dela. Alguns até dizem que temos o nosso bolo e o comemos também. Manobras populistas para estabelecer a viabilidade de um partido gostariam de derrubar tudo. Não vejo nenhum lado negativo. A livre circulação dos europeus...e quero dizer europeus, não hordas migratórias, é o mínimo que devemos à Europa em troca de tudo o que ela nos dá. Longa vida à Suíça, mas também longa vida à Europa. Yves Malinjod cidadão suíço e europeu 🇨🇭🇪🇺

J'ai vécu à Bruxelles rencontré des diplomates qui se sont battus pendant des décennies pour des accord bilatéraux qui profitent très...très largement à notre beau pays. Grâce à ces accords nous pouvons être dans l'Europe sans toutefois en faire partie. Certains disent même que nous avons le beurre et l'argent du beurre. Des manoeuvres populistes pour asseoir la viabilité d'un parti voudraient tout mettre par terre. Je ne vois aucuns inconvénients. La libre circulation des européens...je dis bien des européens et non pas des hordes migratoires est bien la moindre que nous devons à l'Europe en contrepartie de tout ce qu'elle nous donne. Vive la Suisse mais aussi Vive l'europe. Yves Malinjod citoyen Suisse et Européen 🇨🇭🇪🇺

Anônima / Anônimo
Anônima / Anônimo
O seguinte comentário foi automaticamente traduzido de FR.

Eu era totalmente contra a entrada da Suíça na UE, eu era a favor da entrada no EEE. Se a Suíça não votou a favor, então é em minha opinião devido ao depósito para a entrada na UE depositado antes da votação da AEA pelo Conselho Federal, este depósito foi uma afronta e uma desonestidade para com o povo. Também foi desonesto para com os alemães suíços enviar um conselheiro federal de Vaud para defender este projeto, que falava suíço-alemão! Desde então temos sido confrontados com escolhas diabólicas e isto vai continuar! Eu ainda não sei, como muitas pessoas eu penso, em que vou votar! Eu nunca pensei em votar contra a livre circulação, mas estou pensando cada vez mais nisso.

totalement contre l'entrée dans UE de la suisse, j'étais pour l'entrée dans EEE. Si la Suisse n'a pas voté pour alors c'est à mon sens à cause du dépôt pour l'entrée dans UE déposée avant le vote sur EEE par le conseil fédéral, ce dépôt était un affront et une malhonnête envers le peuple. Il était par ailleurs malhonnête envers les suisses allemands d'envoyer défendre ce projet par un conseiller fédéral vaudois qui ânonnait le Suisse allemand! Nous sommes confrontés depuis à des choix diaboliques et cela va continuer! je ne sais pas encore comme beaucoup de monde je pense ce que je vais voter! Ma réflexion n'avance pas beaucoup le débat!Je n'ai jamais songé à vôter contre la libre circulation mais y songe de plus plus.

Anônima / Anônimo
Anônima / Anônimo
O seguinte comentário foi automaticamente traduzido de FR.

Vantagens: mais mobilidade para todos e benefícios ligados a outros acordos com a UE Desvantagens: salários comprovados, mas não reconhecidos, que reduzem os subsídios de desemprego pagos aos residentes suíços porque os empregadores (e por vezes até o próprio Estado!) terão preferido trabalhadores transfronteiriços mais baratos e provavelmente mais motivados para o mesmo salário (mais baixo)

Avantages: plus de mobilité pour tout le monde et bénéfices liés à d'autres accords avec l'UEDésavantages: sous-enchère salariale avérée mais non avouée allocations chômage payées à des résidents suisses car les employeurs (et même parfois l'état lui-même!) auront préféré des frontaliers moins chers et probablement plus motivés pour un même salaire (plus bas)

Anônima / Anônimo
Anônima / Anônimo
O seguinte comentário foi automaticamente traduzido de FR.

Benefícios: - impacto econômico favorável - muitos empregos derivados criados naturalmente - a Suíça na vanguarda da inovação internacional etc. etc. - melhoria da oferta parcial de teletrabalho (para reduzir as viagens e a poluição), alavancando ainda mais e investindo em uma infraestrutura de telecomunicações de última geração. Desvantagens: - grandes investimentos em infra-estruturas de transporte (criação de muito mais instalações de estacionamento e de passeio, e com muito mais capacidade, e também mais barato, para melhor convencer as pessoas a mudarem de carro para comboio ou eléctrico com uma oferta de estacionamento de vaivém-cidade directa) - maior necessidade de segurança pública

Avantages: - impact économique favorable - nombreux emplois dérivés créés naturellement- une Suisse sur le devant de la scène internationale en matière de innovation etc etc- amélioration des offres de télétravail partiel (pour réduire déplacements et pollution) en misant et investissant encore plus sur une infrastructure télécom à la pointe du progrès. Désavantages: - investissements importants en infrastructure de transport (créer beaucoup plus de parkings relais, et avec une capacité bien supérieure, et également meilleur marché, pour mieux convaincre de délaisser la voiture au profit d'un train ou tram avec une offre de navette-directe-ville-parking)- besoin accru en sécurité publique

Anônima / Anônimo
Anônima / Anônimo
O seguinte comentário foi automaticamente traduzido de FR.

A livre circulação é o resultado de numerosos acordos, muitas vezes muito mal negociados pelo Conselho Federal e pelos chamados especialistas em relações internacionais. Impulsionada pelo populismo de esquerda, pelos interesses dos negócios internacionais, pela mídia e pela entidade política francófona, mais disposta a jogar o cavalo de Tróia da UE, a Suíça se aprisionou na armadilha de ser um contribuinte obrigatório para a UE, sem qualquer contrapartida real. Os pseudo-peritos sabem como avançar suas idéias com slogans fáceis sobre os benefícios para a Suíça, que são difíceis de verificar e quantificar. A UE beneficia grandemente de vantagens financeiras, serviços, locais de trabalho, instalações de formação profissional, científica e educativa, todas elas de um benefício unilateral para a UE. É difícil ver como um governo pode influenciar a sua própria população e beneficiar uma associação de estados como um dos principais contribuintes para a UE, em detrimento do seu próprio sistema de segurança. Os acordos bilaterais negociados provaram ser um nó de forca em torno do pescoço da Suíça, por exemplo, quando a Suíça é confrontada com a chegada maciça de cidadãos da UE, trabalhadores transfronteiriços, estudantes, reuniões familiares, refugiados etc. Entretanto, a UE continua surda às propostas suíças de renegociação. Quanto mais a UE avança, restringindo agressivamente o espaço de discussão, mais a Suíça vê reduzida a sua capacidade de ser ouvida.

La libre circulation est l’aboutissement de nombreuses accords, souvent très mal négociés par le Conseil fédéral et les prétendus experts en relations internationales. Poussée par le populisme de gauche, par les intérêts du patronnât international, par les médias et par l’entité politique romande, plus prompte à jouer le cheval de Troie de l’UE, la Suisse s’est enfermée elle-même dans le piège du contributeur obligé à l’UE, sans réelle contre partie. Les pseudos experts savent faire avancer leurs idées avec des slogans faciles sur les avantages pour la Suisse, difficilement vérifiables et quantifiables. L’UE bénéficie fortement d’avantages financiers, de services, de places de travail, de moyens de formations professionnels, scientifiques et pédagogiques au bénéfice à sens unique de l’UE. Il est difficile d’admettre comment un gouvernement peut influencer sa propre population et faire bénéficier une association d’états en sa qualité de contributeur important pour l’UE au détriment de son propre système de sécurité. Les accords des bilatérales tels que négociés, se sont révélés comme une corde au noeud coulant qui rattachent la Suisse à l’UE, par exemple lorsque la Suisse est confrontée à l’arrivée massive des ressortissants de l’UE, frontaliers, travailleurs, étudiants, regroupements familiaux, réfugiés etc L’UE, reste sourde aux propositions suisses de renégociations. Plus l’UE avance, en restreignant de manière agressive l’espace de discussion, plus la Suisse voit ses capacités à se faire entendre réduites.La souveraineté suisse n’est pas négociable, coopération gagnant-gagnant, oui, asservissement non.

Conteúdo externo
Não foi possível salvar sua assinatura. Por favor, tente novamente.
Quase terminado… Nós precisamos confirmar o seu endereço e-mail. Para finalizar o processo de inscrição, clique por favor no link do e-mail enviado por nós há pouco

Os mais recentes debates

As mais novas oportunidades para discutir e debater sobre temas relevantes com leitores no mundo.

Quinzenal

A política de privacidade da SRG SSR oferece informações adicionais sobre o processamento de dados. 

Todos os boletins

SWI swissinfo.ch - sucursal da sociedade suíça de radiodifusão SRG SSR

SWI swissinfo.ch - sucursal da sociedade suíça de radiodifusão SRG SSR