AFP

O presidente argentino, Mauricio Macri, afirmou em uma entrevista publicada nesta segunda-feira pelo jornal espanhol ABC que o governo venezuelano de Nicolás Maduro "violou todos os direitos humanos" e desejou um referendo revogatório o quanto antes.

(afp_tickers)

O presidente argentino, Mauricio Macri, afirmou em uma entrevista publicada nesta segunda-feira pelo jornal espanhol ABC que o governo venezuelano de Nicolás Maduro "violou todos os direitos humanos" e desejou um referendo revogatório o quanto antes.

"É um governo que violou todos os direitos humanos, pelos quais estamos todos trabalhando e defendendo", afirmou o presidente argentino a este jornal conservador antes de sua atual viagem pela Europa.

O governo de Maduro "levou a população venezuelana à fome e ao abandono. Por isso precisam de um referendo, precisam ir a eleições o mais rápido possível", acrescentou.

Esta contundência contrasta com a fraqueza mostrada pela Argentina durante o debate da Organização dos Estados Americanos (OEA) sobre se aplicaria ou não a Carta Democrática contra o país sul-americano, que terminou sem decidir nenhum tipo de medida.

Os opositores do chavismo esperavam que Buenos Aires apoiasse o secretário-geral da OEA, Luis Almagro, que havia invocado a Carta Democrática por supostas violações dos direitos humanos na Venezuela, mas finalmente a Argentina se limitou a pedir diálogo para resolver a crise política.

Perguntado a respeito, Macri negou que a postura de seu governo tenha variado.

"Fizemos o mesmo que vínhamos fazendo. Buscamos caminhos diferentes que nos levassem a este resultado, de eleições o quanto antes e sempre ratificando nosso compromisso com a defesa dos direitos humanos na Venezuela", se defendeu.

afp_tickers

 AFP