AFP

(Arquivo) O presidente do Comitê de Emergências da OMS, David Heymann

(afp_tickers)

Durante os Jogos do Rio-2016 não foi detectado qualquer caso de zika entre os atletas nem entre os demais participantes do evento olímpico, informou nesta sexta-feira a Organização Mundial da Saúde (OMS), destacando, ao mesmo tempo, que o Brasil continua sendo o país mais afetado pela epidemia.

"O Brasil indicou que, durante os Jogos Olímpicos e depois que os Jogos acabaram, não foi detectado nenhum caso de atleta ou participante infectado por zika", informou à imprensa o presidente do comitê de emergências da OMS para o zika, o dr. David Heymann.

"Pode ser que alguns casos se apresentem agora ou depois dos Jogos Paralímpicos", destacou, por sua vez, o diretor do Programa de Gestão de Situações de Emergência Sanitária da OMS, Peter Salama.

Ele ressaltou, no entanto, que mesmo que possa agora haver alguns casos, não se poderá dizer que os Jogos tenham sido um fator que acelerou a propagação da doença.

Em fevereiro, a OMS havia decretado uma emergência de saúde pública de alcance internacional e reafirmou nesta sexta que cerca de 70 países contam com casos de zika desde 2015.

afp_tickers

 AFP